Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Esporte

Nos pênaltis, Independiente vence o Goiás e é campeão

Para o time brasileiro, fica a dor do vice-campeonato, que amenizaria o ano em que foi rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro

Terra

09 de Dezembro de 2010 - 07:19

Uma das equipes mais tradicionais da América do Sul volta a ter prestígio fora da Argentina. O Independiente superou o Goiás por 5 a 3, nesta quarta-feira, nas cobranças de pênaltis, no Estádio Libertadores da América, em Avellaneda, e garantiu o título da Copa Sul-Americana, o primeiro triunfo internacional do clube desde 1995.

Para o time brasileiro, fica a dor do vice-campeonato, que amenizaria o ano em que foi rebaixado à Série B do Campeonato Brasileiro. Nos 90 minutos, o Goiás foi derrotado por 3 a 1, e como venceu o jogo de ida em Goiânia por 2 a 0, o confronto foi resolvido nas penalidades.

Em compensação, a metade azul do Rio Grande do Sul está em festa. Com a derrota goiana, o Grêmio conseguiu a quarta vaga do Brasileiro à Copa Libertadores de 2011, que deixaria de existir em caso de triunfo brasileiro nesta quarta. Além disso, o Flamengo conseguiu sua vaga para a próxima Copa Sul-Americana.

O Independiente não conseguia uma conquista internacional desde a Supercopa da Libertadores de 1995, vencido após final com o Flamengo. O time de Avellaneda é conhecido popularmente como o "Rei de Copas", por ter sete taças da Copa Libertadores, torneio que disputará em 2011.

Os gols da finalíssima ocorreram no primeiro tempo, com Julian Velázquez e Parra (duas vezes) fazendo os gols do time da casa e Rafael Moura descontando para os brasileiros. Nas penalidades, Felipe foi o autor da única cobrança errada. Desta forma, o Internacional segue como único time brasileiro a vencer a Copa Sul-Americana.

Gols inusitados em Avellaneda

Impulsionado por sua torcida, o Independiente começou a partida de forma mais ofensiva, apertando o Goiás em seu campo de defesa. Ainda sim, quem ameaçou primeiro foi o time brasileiro. Aos 2min, Rafael Moura tocou para Douglas dentro do gol, mas a finalização do ala saiu pela linha de fundo.

Apesar do susto inicial, o Independiente seguiu comandando as ações do jogo, dando trabalho à defesa adversária. Aos 18min, a marcação do Goiás falhou. Após cobrança de falta, Matheu chutou forte e Harlei fez grande defesa. No rebote, porém, Julian Velázquez completou para o fundo das redes, uma vez que Marcelo Costa lhe deixou em posição regular.

A vantagem do time argentino, porém, durou apenas três minutos. Wellington Saci cruzou pela esquerda aos 21min e Rafael Moura completou de cabeça para empatar. O gol goiano não diminuiu o ritmo do Independiente, que voltou a atacar e conseguiu ampliar aos 26min em lance bizarro. Ernando tentou afastar bola da área brasileira, mas seu chute acertou em Parra e entrou no gol de Harlei na sequência.

O Goiás tentou sair para o jogo com mais ímpeto e deu alguma dificuldade à defesa argentina. Aos 27min, Otacílio Neto chutou de fora da área e a bola passou por cima do travessão de Navarro. Mas quem marcou foi novamente o Independiente. Em mais um lance inusitado, Parra dividiu com Marcão dentro da área e, sentado, finalizou no canto esquerdo de Harlei.

Ciente da boa vantagem, o Independiente passou a jogar mais comedido, esperando o fim do primeiro tempo. Já o Goiás arriscou em jogadas aéreas, sempre buscando a bola aérea. Aos 46min, o time argentino ficou perto do quarto gol em chute cruzado de Cabrera que passou perto da trave brasileira direita.

Ritmo calmo

O resultado levava a decisão do título para a prorrogação, então os times voltaram de um longo intervalo atuando com precaução. As jogadas de perigo saíam de chutes de fora da área, como uma finalização de Parra aos 2min que foi defendida por Harlei. Três minutos depois, Otacílio Neto cobrou falta cheia de efeito, e a bola passou perto do ângulo direito de Navarro.

O jogo ficou mais truncado, e o Goiás chegou a estufar as redes aos 13min, mas o lance foi anulado por posição irregular de Otacílio Neto. Cinco minutos depois, Rafael Moura quase vez um gol de placa. O atacante arrancou em direção à área, driblou dois marcadores e chutou para a defesa de Navarro.

Buscando evitar a prorrogação, o técnico Artur Neto apostou na entrada de Everton Santos no lugar de Douglas, deixando a equipe mais ofensiva. Ao mesmo tempo, conseguiria conter os avanços dos alas do Independiente. Com os minutos prosseguindo, porém, o jogo passou a ter menos oportunidades de ataque.

O Goiás teve excelente chance aos 39min, em contra-ataque lançado por Rafael Moura. A bola caiu com Felipe na ponta esquerda e, após cruzamento, a defesa do Independiente afastou o perigo. Cinco minutos depois, Rafael Moura apareceu na cara do goleiro depois de cobrança de lateral, mas chutou para fora. Ao fim, o tempo extra foi a realidade da partida.

Título com drama

A prorrogação iniciou-se de modo parecido com o que foi o segundo tempo. Os times jogavam com calma, sem dar espaços ao adversário. Aos 5min, Felipe teve boa chance ao finalizar cruzado e a bola passou perto da trave de Navarro. A melhor chance do Independiente saiu aos 11min, em finalização de Cabrera facilmente defendida por Harlei.

O Goiás iniciou o segundo tempo do tempo extra pressionando o Independiente. Logo no primeiro minuto, Rafael Moura cruzou pela direita e Everton Santos cabeceou na trave argentina. Três minutos depois, o Goiás teve novo gol anulado, desta vez com polêmica. Em cobrança de escanteio, Felipe cabeceou e Navarro defendeu. O atacante completou na sequência, mas a arbitragem viu irregularidade por impedimento de Marcão.

Contente com levar o resultado aos pênaltis, o Independiente limitou-se a ficar na defesa, enquanto o Goiás atacava. Por falhas em finalizações e passes, porém, o time brasileiro não era capaz de fazer o segundo gol. Panorama que levou o título a ser resolvido nos pênaltis.

A primeira penalidade foi cobrada por Maxi Velázquez, que converteu com eficiência. Tolói igualou a contagem na seguida. Parra foi o próximo e acertou com força no canto direito. No mesmo lado, Everton Santos tocou com tranquilidade, para a alegria goiana. Na sequência, Gracián cobrou alto e Harlei por pouco não fez a defesa.

O drama goiano começou com Felipe. O atacante mirou no canto direito e acertou a trave. Matheu animou a torcida na casa ainda mais logo depois, finalizando com calma e vencendo Harlei. Rafael Moura deu esperanças ao Goiás convertendo sua penalidade, mas Tuzzio chutou com qualidade e deu o título ao Independiente.