Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Janeiro de 2021

Esporte

Números mostram dependência que São Paulo tem do quarteto ofensivo

Nas últimas duas partidas, o São Paulo deixou muito a desejar. Justamente quando o quarteto não esteve completo

Globo Esporte

23 de Setembro de 2014 - 08:15

Ganso, Kaká, Alan Kardec e Alexandre Pato. Sob comando de Muricy Ramalho, o quarteto foi o grande responsável pelo crescimento do Tricolor no Campeonato Brasileiro. Antes dele, o time oscilava demais e chegou até a ocupar a oitava posição na tabela de classificação. Com eles, o time arrancou e hoje ocupa a vice-liderança, com sete pontos de desvantagem para o Cruzeiro.

Nas últimas duas partidas, o São Paulo deixou muito a desejar. Justamente quando o quarteto não esteve completo. Contra o Coritiba, Kaká foi o desfalque por acúmulo de cartões amarelos. Diante do Corinthians, o ausente foi Alexandre Pato por causa de uma cláusula contratual. Os números mostram a importância do quarteto.

O São Paulo é o 11º time que mais finaliza no campeonato nacional, com 253 chutes ao gol adversário, média de 11 por partida. Contra o Coritiba, foram apenas quatro tentativas ao gol defendido por Vanderlei. Diante do Corinthians, a produção foi ainda pior: dois arremates, que ocasionaram os gols de Souza e Edson Silva.

Com o quarteto em campo, os números mostram que a equipe é praticamente imbatível. Como titulares, eles atuaram em sete partidas e ganharam os sete jogos. Diante do Goiás, Alexandre Pato entrou no intervalo. Como o time perdeu por 2 a 1 no Serra Dourada, o aproveitamento do quarteto é de 87,5% (sete vitórias e uma derrota em oito partidas). Foram marcados 18 gols. Por outro lado, o time atuou sem alguma das peças do badalado ataque também em oito partidas, com desempenho de apenas 30%. São duas vitórias, dois empates e quatro derrotas. E o número de gols também caiu: foram 11. 

Mesmo reconhecendo o valor de todo o elenco, Alan Kardec diz que a evolução do setor ofensivo se deve ao entrosamento adquirido pelos quatro.

– Pegamos uma sequência muito boa com o quarteto. Começamos a aprender a movimentação, o jeito de correr. Dentro das partidas que pudemos atuar, conseguimos algumas coisas juntos. Mas o time não gira em torno de um ou do outro. Quem entra, sempre tenta mostrar o seu melhor. Diante do Corinthians, foi a primeira vez que atuei com o Luis Fabiano – explicou o atacante.

Para alegria da torcida, o quarteto tem presença garantida na partida contra o Flamengo, já que Alexandre Pato volta na vaga de Luis Fabiano. É a esperança de que o time possa voltar a mostrar o futebol de quem ainda luta pelo título de campeão brasileiro, o que não acontece desde 2008.