Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 3 de Março de 2021

Esporte

Robinho pode levar 12 jogos de gancho por ofensas ao árbitro

Como a pena máxima de cada inciso em que Robinho foi enquadrado é de seis jogos, o atacante corre o risco de ficar até doze partidas sem vestir a camisa do Santos

Gazeta Esportiva

04 de Outubro de 2014 - 07:56

Como já era esperado inclusive pelo próprio clube, Robinho foi denunciado pela Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), nesta sexta-feira, por causa das ofensas ao árbitro paraense Dewson Fernando Freitas da Silva. O incidente ocorreu durante a partida contra o Botafogo, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil.

A denúncia enquadrou o Rei das Pedaladas em dois incisos do mesmo artigo, o 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que se refere a “assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código”.

Como a pena máxima de cada inciso em que Robinho foi enquadrado é de seis jogos, o atacante corre o risco de ficar até doze partidas sem vestir a camisa do Santos. E contra o jogador serão usadas as imagens de Robinho proferindo diversos xingamentos e esbravejando de forma acintosa contra o árbitro do jogo, além da súmula da partida, que conta com o seguinte relato de Dewson: “Após ter sido expulso o referido atleta veio em minha direção apontando o dedo ao meu rosto e proferindo as seguintes palavras: ‘p... tu tá de sacanagem, seu maluco’, e em seguida me puxou pelo ombro e continuou reclamando”.

O julgamento ainda não tem data marcada e Robinho, se for condenado, teria de cumprir a punição determinada apenas na Copa do Brasil. Porém, em caso do número de jogos não ser suficientes, o camisa 7 terá de seguir cumprindo a suspensão no Campeonato Brasileiro.

Na vitória por 3 a 2 do Santos em cima do Botafogo, na primeira partida entre as equipes válida pelas quartas de final da Copa do Brasil, Robinho, que marcara dois gols no jogo, recebeu primeiro um cartão amarelo por reclamação e, posteriormente, o segundo amarelo. Consequentemente, resultando no cartão vermelho, por simular uma falta no meio de campo, no segundo tempo.