Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 1 de Dezembro de 2020

Esporte

Saudade também no bolso: saída de R10 deixa legado e desafio ao Galo

Dados mostram que R10 foi o grande responsável por alavancar os ganhos do Atlético-MG

Globo Esporte

01 de Agosto de 2014 - 13:41

Ronaldinho Gaúcho deixará saudades. Não só para a torcida do Galo, mas também, ao caixa alvinegro. Um grande desafio à diretoria atleticana está colocado: manter os números de arrecadação nos próximos anos, mesmo sem o principal “garoto-propaganda”. Os dados mostram que R10 foi o grande responsável por alavancar os ganhos do Atlético-MG. Mas a diretoria do atual campeão da Libertadores, apesar de reconhecer que a “parceria” com o meia fez o Galo ser reconhecido mundialmente, acredita que a marca da equipe mineira é forte por si só.   

Além da expansão da marca, Ronaldinho Gaúcho também trouxe dois títulos inéditos ao clube: a Libertadores de 2013 e a Recopa Sul-Americana desta temporada. Para se ter uma ideia, quando ele chegou, em junho de 2012, o valor da marca Atlético-MG era de R$ 179 milhões. A permanência do jogador, e a divulgação de seu nome junto ao do clube alvinegro, fizeram a marca alvinegra valer R$ 214 milhões. Tudo isso aliada à conquista da Libertadores sobre o Olimpia, do Paraguai. Em 2014, considerando o Atlético campeão da Libertadores, o valor chega a R$ 357 milhões.   

A diretora executiva do clube, Adriana Branco, não tem dúvidas em dizer que Ronaldinho foi o grande carro-chefe para o Atlético-MG aumentar os ganhos.

“Valorizou. Houve, sim, (aumento nos ganhos), venda de produtos, exposição em mídia que valoriza também o patrocinador. O Ronaldo causa interesse internacional naturalmente e isso só agrega valor à marca do Atlético-MG, tanto em venda de camisa, em tudo mais. É importante registrar que na Copa do Mundo, as lojas do Galo venderam camisa do Ronaldinho para torcedores da Argentina, da Colômbia, do Chile e do México. Ele provoca comoção por onde passa”.   

Legado e desafio   

Vestido com a camisa do Atlético-MG, Ronaldinho Gaúcho arrastou multidões. Foi assim na América do Sul durante os jogos da Libertadores, durante os amistosos na China e no Mundial de Clubes no Marrocos, ano passado. Apesar de admitir que o meia foi muito importante para o clube, a diretora executiva acredita que o Galo não terá grandes perdas com a saída do craque. 

"Fica um grande legado, cabe a nós andar para frente com a construção toda que foi feita de conquistas, de Ronaldo. Manter isso e acrescentar sempre à marca um caminho que está traçado, que não tem volta mais. O Atlético é uma marca forte, consolidada, dá um retorno extremamente surpreendente para nossos parceiros. Virão outros, e temos um elenco valiosíssimo, com outros excelentes jogadores. Acho que não interfere".

Confira os números do Atlético-MG em termos de arrecadação sem e com R10:   

Arrecadação de bilheteria
2011 - R$ 2,5 milhões
2012 - R$ 14,3 milhões
2013 - R$ 20,1 milhões   

Patrocínio
2011 - R$ 18,2 milhões
2012 - R$ 21,9 milhões
2013 - R$ 25,4 milhões   

Arrecadação por transferência
2011 - R$ 22,7 milhões
2012 - R$ 11,8 milhões
2013 - R$ 63,1 milhões   

Receita total
2011 - R$ 99,8 milhões 
2012 - R$ 163 milhões
2013 - R$ 227,9 milhões   

Valor da marca
2012 - R$ 179 milhões
2013 - R$ 214 milhões
2014 - R$ 357 milhões