Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Outubro de 2021

Esporte

Tite enche a bola do grupo, mas trata de manter os pés no chão

Treinador diz que equipe soube se reerguer após todas as dificuldades e que o clássico contra o Sâo Paulo será excelente teste para ratificar isso

Globo Esporte

24 de Março de 2011 - 16:13

Tite enche a bola do grupo, mas trata de manter os pés no chão
Tite enche a bola do grupo, mas trata de manter os p - Divulga

Fácil vitória, vaga garantida na próxima fase e liderança isolada na reta final da fase de classificação do Campeonato Paulista. O ótimo momento vivido pelo Corinthians na temporada 2011, após a traumática e inesperada eliminação na Taça Libertadores da América, fez o técnico Tite encher a bola do seu elenco, que, mesmo após perder peças importantes, está sabendo se reerguer e dar a resposta que a torcida tanto espera.

Nesse momento, quero ressaltar a capacidade que essa equipe teve de se fortalecer. Perdemos jogadores de alto nível, de Seleção Brasileira, que foram Elias e Jucilei. Depois, saíram atletas do nível de Ronaldo, Roberto Carlos e William. Hoje, mesmo sem fazer um bom primeiro tempo, o meu grupo é merecedor desse registro, é merecedor de respeito. O grupo está se fortalecendo e no domingo teremos mais um teste difícil – afirmou Tite, referindo-se ao clássico contra o São Paulo.

O que deixa o treinador satisfeito é que, mesmo com a alternância de peças, a equipe está mantendo um belo padrão de jogo.

- O Liedson é um grande jogador, sem dúvida nenhuma. Quando ele não jogou, atuou o William, que fez dois gols. E, se isso aconteceu, é porque o meio criou. A mecânica da equipe está funcionando bem, o que é importante se ressaltar. Com o passar dos jogos, a tendência é isso melhor, já que a repetição acaba trazendo o entrosamento – lembrou.

Para finalizar, o treinador disse que o clássico será uma excelente oportunidade para mostrar como esse grupo vai reagir a mais uma nova condição vivida em 2011.

- Quando aconteceu o que aconteceu no passado (eliminação da Libertadores), o time deu uma resposta. Agora quero ver como meus atletas vão reagir a partir de agora, já que assumimos a liderança e todos já estão dizendo que o Corinthians é o melhor time, é isso, é aquilo. O momento é de confiança, mas também de muita calma – ressaltou.