Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 28 de Maio de 2022

Geral

Após 3 semanas, só 24 famílias continuam em área invadida no Petrópolis

Na última sexta-feira (7) uma equipe da Secretaria Municipal de Asssistência Social esteve no local para identificar famílias.

Redação

09 de Janeiro de 2022 - 19:57

Após 3 semanas, só 24 famílias continuam em área invadida no Petrópolis
Foto: Assessoria de Comunicação

Transcorridos 3 semanas após terem sido despejadas da área que ocupavam desde maio no Diva Nantes, só 24 das 150 famílias que "migraram" para o Jardim Petrópolis continuam nos 2,5 hectares também pertencentes ao município.

Na última sexta-feira (7) uma equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social esteve no local para identificar famílias que tem o perfil para receberem o aluguel social pago pelo município. A equipe, com base nas informações fornecidas pelos próprios sem teto concluiu que só 15 das 24 famílias se enquadram nos critérios da política de assistência para receber este benefício eventual. Só podem ser contempladas famílias que tenham renda per capita de até meio salário mínimo (R$ 606,00). Das que podem receber, só dona Marta da Costa Nascimento mostrou interesse em trocar o barraco onde mora por uma casa alugada por até R$ 581,76, que por 90 dias será paga pela Prefeitura.

Sua expectativa é que em 90 dias o marido dele consiga um emprego fixo. Atualmente, ele trabalha como diarista. No levantamento feito antes do despejo da área do Diva Nantes, as equipes da Assistência Social identificaram muitas famílias com renda per capita acima de R$ 605,00.

No grupo, havia três famílias com renda per capita de R$ 1.100,00. As famílias que estão no Jardim Petrópolis, são remanescentes do grupo despejados dia 16 de dezembro de uma área no Diva Nantes. Os 6 hectares foram adquiridos em 2015 pela Prefeitura para implantação de um projeto habitacional. No local, a Engepar Engenharia, habilitada por meio de licitação, planeja construir 115 casa populares.