Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 6 de Julho de 2022

Mato Grosso do Sul

Polícia Civil cumpre mandado na casa de diretor acusado de assediar adolescente

Foram apreendidos notebook, pen drive, chip de celular e outros objetos que vão ajudar na investigação.

G1

16 de Maio de 2022 - 10:14

Polícia Civil cumpre mandado na casa de diretor acusado de assediar adolescente
Material foi apreendido em Nova Andradina. Foto: Jornal da Nova/Reprodução

A Polícia Civil cumpriu, neste domingo (15), um mandado de busca e apreensão na casa do diretor da escola municipal Efantina de Quadros Marcos Eduardo Carneiro, investigado por assédio sexual contra uma ex-aluna de 15 anos em Nova Andradina (MS) - a 297 quilômetros de Campo Grande.

Equipes da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) e Setor de Investigações Gerais (SIG) prenderam notebook, pen drive e chip de celular, que passarão por perícia. O suspeito não estava na casa, mas as buscas foram acompanhadas por uma das filhas do homem.

"Hoje pela manhã cumprimos o mandado de busca na casa do funcionário que foi acusado de assediar uma aluna em Nova Andradina. Apreendemos o notebook, chip de celular e um pen drive”, disse a delegada titular da DAM, Daniella Nunes ao g1.

De acordo com a Polícia Civil, a investigação segue em andamento e outras vítimas devem ser ouvidas nesta semana. A Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec) informou ao g1 que, após a denúncia, o homem foi afastado de suas funções para apuração do caso.

Entenda o caso:

A mãe da estudante procurou a delegacia de Nova Andradina para denunciar o educador e entregou prints de mensagens de cunho sexual que a filha teria recebido. Entre as mensagens, o diretor teria feito o seguinte comentário a jovem: “Com todo respeito, você está uma delícia”.

De acordo com a ocorrência, o diretor passou a enviar mensagens à em janeiro deste ano. Em uma delas, teria dito: "Você mexe com a minha imaginação". O conteúdo apresentado à DAM inclui uma mensagem na qual o homem convida a menor para sair. "Precisamos marcar alguma coisa juntos, quando você quiser e puder".

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MPMS), por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Nova Andradina, instaurou inquérito civil, com objetivo de apurar eventual violação de princípios administrativos, relacionados a assédio sexual de alunas na unidade escolar.