Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Policial

Acusadas de matar funileiro a machadadas enviam SMS a policial e confessam crime

Segundo informações do site Coxim Agora, o motivo seriam os constantes abusos sexuais praticados pela vítima contra a enteada.

Coxim Agora

13 de Abril de 2011 - 08:09

A esposa e enteada do funileiro José Aparecido dos Santos morto a machadadas na manhã do último domingo (10) em Coxim, cidade localizada a 260 quilômetros de Campo Grande, pode ter enviado uma mensagem de texto para o celular de um policial informando que as duas planejaram e executaram o crime.

Segundo informações do site Coxim Agora, o motivo seriam os constantes abusos sexuais praticados pela vítima contra a enteada.

A mensagem, de acordo com as investigações, foi para um policial militar que estava na cena do crime e dizia que mãe e filha sofriam constantes ameaças de José Aparecido. “Eu não quero ser mais capacho sexual de padrasto, ele falou que se eu não fizesse sexo com ele, ele iria nos matar, eu quero viver, por isso, eu sentei na cadeira para conversar com ele e minha mãe desferiu o golpe com o machado”, dizia o texto do torpedo.

Mãe e filha foram indiciadas e o texto do SMS foi anexado no inquérito. Apesar de ter sido registrada por José Aparecido, a jovem cita a vítima como padrasto dela.

O advogado que representa as acusadas entrou em contato com a Polícia Civil de Coxim e informou que as duas devem se apresentar para depoimentos durante esta semana.

A morte do funileiro aconteceu na avenida Virgínia Carneiro, no Loteamento Vale do Taquari, entre Coxim e o distrito de Silviolândia.