Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 17 de Outubro de 2021

Policial

Acusados de matar adolescente a facadas em GO serão ouvidos novamente amanhã

Claudio Roberto de Assis, de 36 anos, e os dois filhos, de 17 e 13 anos, estão envolvidos na morte de Adriele

Campo Grande News

08 de Abril de 2011 - 16:17

A Polícia de Goiás deve ouvir novamente neste sábado os acusados de matar a facadas a adolescente Adriele Camacho de Almeida, de 16 anos, no último dia 13 de março. Espera-se que o pai da namorada de Adriele e os dois irmãos possam fornecer detalhes do crime, que chocou a população de Itarumã, município a 60 quilômetros de Cassilândia.

Claudio Roberto de Assis, de 36 anos, e os dois filhos, de 17 e 13 anos, estão envolvidos na morte de Adriele. A família não aceitava o relacionamento homossexual da jovem com a filha, de 15 anos. Há tempos, a família ameaçava Adriele de morte.

Ontem, o delegado responsável pelo caso, Samer Agi, teve acesso ao registro de ligações de um dos acusados. A quebra do sigilo foi autorizada pela justiça. “Ainda é muito cedo para tirar alguma conclusão. Mas as ligações e os depoimentos vão ajudar a esclarecer”, disse Samer.

A reconstituição do caso pode ser marcada para o começo da próxima semana. A família de Adriele acredita que o crime foi planejado. Kely Camacho, irmã da vítima, disse ao Campo Grande News que o fazendeiro dizia que levaria a filha embora de Cassilândia e que, caso Adriele fosse atrás, acabaria morta.

Adriele foi morta a facadas no dia 13 de março. Ela foi atraída até Itarumã pelo irmão da namorada, que dizia que a jovem estava sofrendo por conta do término da relação entre as duas meninas. Lá, foi assassinada e enterrada de cabeça para baixo próximo à fazenda de Cláudio Roberto.

Ainda não foi feito pedido de liberdade para o fazendeiro, que continua preso em Itarumã. Os dois filhos estão em uma instituição para menores.