Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 24 de Janeiro de 2022

Policial

André assegura incentivos fiscais pra desenvolver indústrias

MS Notícias

31 de Maio de 2011 - 10:55

Com o trabalho reconhecido pelo setor industrial, o governador André Puccinelli recebeu ontem à noite (30) o Gran Colar da Ordem do Mérito Industrial de Mato Grosso do Sul, criado em 2009 pela diretoria da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems). A comenda foi entregue durante a solenidade de posse da nova diretoria da Federação e é concedida a cada ano a uma única personalidade agraciada, que tenha contribuído para o desenvolvimento da indústria no Estado.

“Eu acolho esta homenagem como incentivo ainda maior para que eu trabalhe mais ainda para meu Estado”, resumiu o governador, que foi escolhido para receber a comenda por meio de eleição entre os sindicatos das indústrias do Estado. André disse que Mato Grosso do Sul vem crescendo e que esse desempenho é fruto da ousadia dos empresários e da parceria do executivo estadual. “Optamos por aumentar os incentivos fiscais e tributários setorizando e regionalizando para propiciar um melhor desempenho para os empresários. Evoluímos e tivemos um crescimento ainda maior. Fico contente porque o empresariado do meu Estado nos honra o nos orgulha”, ressaltou.

Puccinelli disse que falta ainda mais incentivo e ousadia e espera duplicar tudo o que fez até agora com qualificação e requalificaçao de trabalhadores de Mato Grosso do Sul. “A qualificação é buscada por nós em parceria com a Fiems e o Sebrae para uma melhor qualidade na produção. Começaremos com a área metal mecânica, já que teremos uma siderúrgica com aços longos produzidos no Estado. Continuamos a investir na construção civil e na questão do vestuário. Agora com o zoneamento ecológico econômico, podemos disponibilizar incentivos setorizados e desenvolver com maior igualdade as regiões de Mato Grosso do Sul”, disse.

Sobre novos projetos no setor industrial, André citou a instalação da segunda fábrica de celulose, uma terceira vindo, e a possibilidade de uma quarta solicitar licenças ambientais. No ano que vem haverá o início da primeira siderúrgica para aços longos e uma fábrica de fertilizantes na cidade de Três Lagoas. Quanto aos incentivos, o governador disse que o executivo já começou a desonerar. “Numa ponta aumentamos o percentual de incentivo tributário e na outra ponta por meio de inúmeras medidas adotadas desoneramos as micro empresas individuais (MEI). Tivemos o agradecimento de quase 10 mil micro e pequenas empresas já beneficiadas”, comentou.

O governador lembrou ainda da substituição da pauta fiscal por valor real pesquisado (VRP) com a possibilidade de diálogo com o Estado para atender melhor o empresariado. “Da parte do Estado já há movimento desde o final do ano passado com a desoneração em percentuais, alteração de pauta para o valor real pesquisado e uma série de medidas que propiciaram ao empresariado o seu reconhecimento ao governo estadual”, finalizou.

A nova diretoria da Fiems, composta por 28 membros, foi eleita em chapa única e de consenso para o quadriênio 2011/2015. Conforme o presidente, Sérgio Marcolino Longen, as prioridades continuam sendo a reordenação dos incentivos fiscais para fortalecer as indústrias e tentar criar programas de qualificação e requalificaçao ao trabalhador, além de ações voltadas para os empresários.

“A expectativa é grande e as empresas estão recebendo o apoio praticamente total na qualificação, além de incentivos fiscais no Estado que são bom fomento para o desenvolvimento e os recursos do FCO [Fundo Constitucional do Centro-Oeste]. São ações que precisamos consolidar para dar continuidade a esse crescimento”, destacou. De acordo com Longen, a indústria cresceu acima de 10% no ano passado e esse ano a previsão é de crescimento acima de 11%, considerando que o Brasil deve crescer por volta de 4% do PIB.

O presidente da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Robson Braga de Andrade, participou do evento e disse que a CNI está trabalhando com a redução da carga tributária, na qualificação da mão de obra, além da inovação industrial. “São pontos onde estamos buscando trabalhar junto aos governos para o Brasil atrair investimentos e desenvolvimento para a geração de emprego e de renda”, afirmou.

Braga de Andrade avaliou que Mato Grosso do Sul está crescendo e que tem grande potencial de diversificação da indústria. “Aqui temos condições de desenvolver diversos setores da indústria com desenvolvimento de conteúdo tecnológico”, resumiu.