Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Policial

Casa é incendiada e suspeita é de crime passional

No local moravam duas mulheres, que mantinham relacionamento há três anos, e uma delas é apontada como autora do incêndio

Campo Grande News

08 de Janeiro de 2011 - 10:11

Uma casa pegou fogo esta madrugada, na Rua Osvaldo Aranha, Bairro Alves Pereira, em Campo Grande, e a suspeita é de crime passional.

No local moravam duas mulheres, que mantinham relacionamento há três anos, e uma delas é apontada como autora do incêndio.

Luciene Dias, 36 anos, teve roupas e móveis queimados.

A mulher conta que a namorada, Adriana da Silva Pereira, 24 anos, havia ameaçado atear fogo na casa instantes antes do incêndio.

“Ela estava bêbada e começamos a discutir. Eu fui para a casa do meu filho, ela foi atrás e disse para tirar minhas coisas da casa porque ela tocaria fogo”, revela Luciene.

Sem dar crédito à ameaça, Luciene esperou o filho chegar para pegarem as coisas da casa, no entanto, quando foram ao local o imóvel estava em chamas.

O filho de Luciene e os vizinhos tentaram retirar os móveis da casa, porém, não tiveram tempo.

As chamas começaram pelo quarto, se alastraram para a cozinha e, quando os militares do Corpo de Bombeiros chegaram, já havia atingido a sala.

Prisão - As duas se conheceram na prisão, onde cumpriam pena por tráfico.

Luciene está em liberdade condicional e, por este motivo, teve medo de permanecer no local do incêndio diante da presença da Polícia.

Já Adriana, que cumpriu toda a pena, foi quem prestou as informações à Polícia Civil.

Ela disse que acendeu uma vela, suposta causa do incêndio, que foi registrado como culposo, aquele em que não há intenção.

Entretanto, Luciene afirma que Adriana colocou fogo em um travesseiro e jogou dentro do guarda-roupas.

Adriana voltou à casa esta manhã e não quis comentar o caso.

Questionada sobre possível arrependimento, ela disse não estar arrependida.

Já sobre o que fará depois do incêndio ela sintetizou: “Agora é trabalhar e continuar a vida”.