Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 23 de Outubro de 2021

Policial

Cidade não registra homicídio há um ano e Polícia atribui à prevenção

Para a Polícia, esse resultado é decorrente do trabalho preventivo de combate ao tráfico de drogas

Campo Grande News

26 de Janeiro de 2011 - 07:54

Com pouco mais de 22 mil habitantes, São Gabriel do Oeste, município que fica a 141 quilômetros de Campo Grande, não registra nenhum homicídio desde o dia 28 de novembro de 2009. A informação consta no registro da Polícia Civil. A cidade que não teve nenhum assassinato nos últimos 14 meses, havia registrado dez casos nos dois anos anteriores. Para a Polícia, esse resultado é decorrente do trabalho preventivo de combate ao tráfico de drogas.

O delegado titular de São Gabriel, Gustavo Ferraris, lembra que assumiu a delegacia em 2007 e no ano seguinte identificou que 80% dos homicídios eram relacionados ao tráfico de entorpecentes.

Foi aí que teve início o trabalho que resultou na diminuição dos assassinatos. No ano passado, a equipe de Ferraris fechou 15 bocas-de-fumo e prendeu 32 pessoas por tráfico.

“Eu entendo que a redução dos homicídios é fruto de um árduo trabalho de combate ao tráfico de drogas, crimes contra o patrimônio cometidos com violência ou grave ameaça à pessoa (roubo) e apreensão de armas de fogo”, define o delegado, que atribui os resultados à ação conjunta das Polícias Civil, Militar, Ministério Público e Judiciário do município.

Por conta da ação de combate ao tráfico, a cidade foi a única que não precisou de reforço da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) durante a Operação Tic-Tac deflagrada no ano passado, lembra o delegado.

Isso porque a equipe local já investigava Eliel da Costa Soares e Luciana Lima Peralta, que tiveram mandados de prisão por tráfico expedidos durante a operação. Conforme a Polícia, eles foram, inclusive, presos em flagrante, porque já vinham sendo monitorados. Eliel era apontado como integrante do PCC (Primeiro Comando da Capital).

Investigações – Conforme os registros da Polícia Civil, em 2010 foram registrados na cidade 1.213 boletins de ocorrência, sendo 333 de extravio.

Dos 880 restantes, 268 geraram inquéritos policiais; 314 Termos Circunstanciados de Ocorrência; e 77 Autos de Apuração de Ato Infracional, quando os crimes eram cometidos por adolescentes.

Segundo o delegado, 75% dos crimes cometidos no ano passado tiveram autoria esclarecida, número correspondente a 659 BOs. O restante das ocorrências ainda está em fase de investigação.

Ferrari explica que os pequenos crimes e contravenções, que “fazem com que a marginalidade sinta-se à vontade no município”, são rapidamente solucionados e isso “tira a sensação de impunidade”.

População – Natura de São Gabriel, a recepcionista Fernanda Cardoso, de 25 anos, afirma que as rondas e operações policiais na cidade são constantes. Para ela, esse trabalho aliado ao combate ao tráfico é o responsável pela diminuição nos assassinatos. “Eles (policiais) estão prevenindo”, resume.

A jovem detalha que os moradores não têm receio de denunciar os crimes. “Se denuncia, eles vão atrás, procuram investigar”, garante.

Até o agente funerário elogia o trabalho da Polícia e credita a redução nas mortes às ações preventivas. “Não teve nenhum homicídio porque é feita bastante ação da Polícia para amenizar esse problema”, relata.

Questionado se isso não prejudica os negócios, ele é rápido ao dizer que prefere assim. “A gente vê pelo bem geral da população”, conclui.