Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Policial

Com implantação do Sisfron, Exército garante que vai dificultar ação de criminosos

Neste início de operação, são 600 quilômetros da fronteira em Mato Grosso do Sul que começam a ser monitorados por meio da base em Dourados

Dourados News

13 de Novembro de 2014 - 14:29

O Exército Brasileiro lançou oficialmente na manhã desta quinta-feira (13), na sede da Brigada Guaicurus, em Dourados, o início da operação do projeto piloto do Sisfron (Sistema de Monitoramento de Fronteiras). Com a presença de várias autoridades, os militares apresentaram a estrutura da central de monitoramento que foi implantada na cidade, que é a base experimental deste que é considerado o maior investimento do Ministério da Defesa na segurança da faixa de fronteira nacional.

Somente na área de responsabilidade do CMO (Comando Militar do Oeste), que abrange 1,8 mil quilômetros de fronteira com o Paraguai e a Bolívia em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás, o investimento é de R$ 900 milhões. Neste início de operação, são 600 quilômetros da fronteira em Mato Grosso do Sul que começam a ser monitorados por meio da base em Dourados. Comandante do CMO, o general Aparecido de Paula Cunha garantiu ao Dourados News que a população vai perceber gradativamente o trabalho do Sisfron.

“A população pode esperar melhores condições em termos de segurança porque a partir de hoje estaremos atuando juntamente com demais órgãos de segurança pública. Os resultados talvez não sejam percebidos de imediato, mas apenas com o fato de estarmos agindo já haverá preocupação dos criminosos, que terão mais dificuldades”.

O general admitiu, no entanto, que o Sisfron não é um projeto que vai ‘fechar’ a fronteira, literalmente. Estimado em R$ 12 bilhões, a implantação total do sistema em todo o país está prevista para 2017. Conforme o militar, o objetivo é “criar dificuldades” que hoje não existem na faixa de fronteira, cuja segurança atual é vulnerável a ação criminosa.

“A fronteira não vai ser literalmente fechada. O custo de violência no Brasil é altíssimo. Se nós tivermos uma efetividade de 3% o Sisfron já estará pago, mas esperamos que seja bem maior que isso. Não vamos fechar a fronteira porque isso seria impossível. Nem se fizéssemos um muro como fez os Estados Unidos com o México. A mesma coisa vai acontecer aqui. O tráfico vai continuar, somente com mais dificuldades. Essa é a diminuição que vai acontecer com relação à criminalidade”.

Conforme o general a ‘sensação de segurança’ com o início da operação do Sisfron será percebida com tropas sendo integradas e fazendo postos de controle de trânsito, deslocamentos e demais ações que serão realizadas em conjunto com os demais organismos de segurança.

Para haver integração, Estado também deverá se estruturar

Com implantação do Sisfron, Exército garante que vai dificultar ação de criminososO comandante do Exército no país, general Enzo Martins Peri, destacou durante entrevista que para haver a integração do Sisfron com os organismos de segurança pública, como o sistema propõe, é preciso haver investimento por parte do governo do Estado.

“Já existe uma integração e isso é importante para o resultado final. O Sisfron oferece uma estrutura, mas todos terão que se aperfeiçoar para chegar ao nível dele e usufruir do que o projeto oferece. Cada vez mais que isso for feito, o funcionamento vai melhorando”, destacou o general.

Presente na solenidade de formatura dos militares que irão fazer parte do efetivo da Brigada Guaicurus que vai trabalhar no Sisfron, o secretário estadual de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, disse que desde o ano passado a polícia no Estado está sendo preparada para trabalhar integrada ao sistema.

“Desde o ano passado estamos trabalhando na estruturação para poder nos integrar ao Sisfron e usufruir ao máximo desse sistema e da oportunidade de trabalharmos junto no combate à criminalidade. Contratamos servidores e estamos equipando as polícias com viaturas e outras ferramentas. Sabemos da importância desse projeto e sem dúvidas o Estado está trabalhando para poder fazer ações em conjunto da melhor forma possível”, garantiu o secretário.

Durante a formatura dos militares designados ao Sisfron, o general da Brigada Guaicurus, Rui Yutaka Matsuda, destacou o fato do piloto ter sido implantado em Dourados e foi outro a ressaltar a importância do investimento bilionário e o ganho que ele trará a população.

“O Sisfron é um projeto vitorioso e que vai entregar sem dúvida alguma um trabalho de grande valor para a sociedade. Neste momento estamos construindo o nosso amanhã”, disse o comandante durante seu discurso.