Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Junho de 2024

Policial

Condutor dominado por ladrão pula de carro em movimento no município de Batayporã

Já na cidade, a vítima compareceu na Delegacia de Polícia Civil, onde registrou um boletim de ocorrência por roubo majorado pelo emprego de arma

Nova News

21 de Novembro de 2014 - 07:57

Na noite desta quarta-feira (19), por volta das 23h, um homem de 56 anos teve o carro roubado na região do Assentamento São Luiz, em Batayporã. A vítima chegou a pular do carro em movimento para escapar do ladrão que fugiu com o automóvel tomando rumo ignorado.

Segundo a ocorrência policial, o proprietário do veículo VW Gol, de placas BLJ-3853, estava em um bar localizado na área urbana do Assentamento Mercedina, quando um jovem de 23 anos chegou ao local, e pediu uma carona até o lote onde reside, no Assentamento São Luiz.

Chegando em frente ao lote, o carona, de posse de uma arma não identificada, dominou o condutor, exigiu as chaves do carro, assumiu a direção do veículo rumo a Batayporã e ordenou que a vítima passasse para o banco do passageiro. Mesmo após o dono do carro pedir para que ele retornasse aos assentamentos, o autor seguia rumo à cidade.

Em determinado momento, na tentativa de escapar da ação do criminoso, a vítima abriu a porta do carro e se jogou do veículo em movimento, sofrendo diversos ferimentos pelo corpo, sendo que o autor seguiu em direção à zona urbana. Após alguns minutos, o dono do carro conseguiu carona em um ônibus da Prefeitura Municipal que trafegava pelo local.

Já na cidade, a vítima compareceu na Delegacia de Polícia Civil, onde registrou um boletim de ocorrência por roubo majorado pelo emprego de arma. Na manhã desta quinta-feira (20), a polícia disse ao site que o veículo foi localizado no município de Nova Andradina, depenado, sem as quatro rodas, e já foi devolvido ao proprietário.

Segundo o delegado que cuida do caso, a ocorrência segue sob apuração, para que a autoridade competente possa constatar o que realmente ocorreu, já que as versões da vítima e do autor, que acabou localizado, são divergentes.