Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Policial

DOF amplia apreensões de drogas e mercadorias

Conforme o levantamento, apreensões de pasta-base e crack foram as que mais cresceram em relação ao mesmo período do ano passado

Conjuntura Online

08 de Abril de 2011 - 09:00

O combate ao tráfico de drogas realizado pelo DOF (Departamento de Operações de Fronteira) apresenta números que apontam elevação de apreensões de entorpecentes e pessoas presas acusadas de tráfico de drogas nos três primeiros meses de 2011.

Conforme o levantamento, apreensões de pasta-base e crack foram as que mais cresceram em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto em 2010 o DOF não apreendeu nenhuma pedra de crack entre janeiro e março, este ano já foram retiradas do mercado do tráfico 454 pedras do entorpecente. 

Já o índice que se refere à pasta-base aumentou 155% este ano. As ações do DOF também culminaram na elevação de presos por tráfico que está 19% maior do que em 2010. Enquanto, no ano passado 47 pessoas foram presas acusadas de tráfico, em 2011 o número passou para 56.

De acordo com diretor do DOF, coronel Joel Martins dos Santos, os bons resultados apresentados pelo departamento são reflexo do comprometimento e motivação da tropa e uma constante inovação no modo de operar. 

“Apesar de manter nossa linha de atuação, buscamos inovar com o serviço de inteligência que tem grande importância no nosso trabalho porque estuda o cenário e passa para o operacional”, explica o diretor, ressaltando a importância da estratégia, principalmente devido ao DOF ser uma polícia itinerante, que atua sem bases fixas na faixa de fronteira.

Ainda segundo o balanço, este ano o índice de apreensões de maconha e cocaína cresceu igualmente em 141%. No ano passado o DOF recolheu pouco mais de 29,3 quilos de cocaína nos três primeiros meses e neste ano o montante ficou em 70,182 quilos.

Apesar de apresentar o mesmo percentual de crescimento de apreensões com a cocaína, a maconha ainda representa grande parte dos entorpecentes recolhidos: entre janeiro e março do ano passado foram apreendidos 1.526,965 quilos da droga, este ano até março foram 3.683,201.

O diretor do DOF observa que é neste sentido que a ação planejada demonstra eficiência. Ele diz que em toda a faixa de fronteira há características que diferenciam as modalidades de tráfico. Segundo o coronel Joel, as apreensões de drogas são mais comuns nos municípios de Coronel Sapucaia, Ponta Porã, Bela Vista e Corumbá. “Mas a maconha é mais forte nesta faixa de fronteira com o Paraguai, principalmente na região de Coronel Sapucaia. Já em Corumbá o que predomina é o tráfico de cocaína e pasta-base”, avalia o diretor.

De acordo com coronel outra característica que diferencia as modalidades de tráfico está na forma de transporte da droga. Joel diz que a maconha geralmente é transportada em grande escala em carros de passeio ou caminhões. 

No caso da cocaína e da pasta-base, o tráfico é com pequenas quantidades, normalmente transportadas por passageiros de ônibus, que levam a droga escondida nas bagagens ou no próprio corpo. “É este tipo de ação que consta nos estudos da inteligência e viabiliza o foco da atuação”, reforça.

O balanço do DOF mostra ainda que as apreensões de pasta-base aumentaram 155% este ano em relação ao mesmo período do ano passado. Em 2010 foram presos 10,971 quilos da droga e este ano a quantidade saltou para 28,060 quilos. Apreensões de haxixe cresceram 5%, saindo de 3.387 bolas (unidade da droga) para 3.389 este ano. Também foram presos 20 veículos com drogas.