Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 14 de Junho de 2024

Policial

Escola Joaquim Murtinho suspende aulas por conta de ‘luto’ de professor que estava sumido

No cartaz, a mensagem era: “Não abriremos nesta terça-feira (18/11/2014). Estamos em luto pela morte do professor Francisco Borges da Silva

Midiamax

18 de Novembro de 2014 - 09:23

Logo pela manhã, quem esteve na Escola Estadual Joaquim Murtinho se deparou com os portões fechados e um cartaz avisando sobre o luto. O local era onde o professor de língua portuguesa, Francisco Borges da Silva, de 39 anos, estava lotado último.

No cartaz, a mensagem era: “Não abriremos nesta terça-feira (18/11/2014). Estamos em luto pela morte do professor Francisco Borges da Silva”. Alunos e funcionários do local tinham esperança de encontrar o amigo ainda vivo, mesmo dizendo que ‘o sumiço dele era estranho, pois isso não condizia com o perfil do educador’.

Por conta das circunstâncias, o corpo do professor que foi vítima de um latrocínio, roubo seguido de morte, ainda não foi liberado do Imol (Instituto de Medicina e de Odontologia Legal). Ainda não é sabido onde será o velório.

Campanha

Desde a informação de que o professor estava desaparecido, familiares, amigos, alunos e colegas de trabalho iniciaram uma campanha nas redes sociais para localizá-lo. O professor estava licenciado por conta de laudos médicos e aproveitava o tempo vago para concluir o doutorado.

Tido como carismático, inteligente e animado, o professor era conhecido no estabelecimento de ensino por conta dos incentivos em promover atividades que faziam com que os alunos se interessassem pelos estudos.

Uma das grandes conquistas dele foi à aquisição de um automóvel zero quilômetro de modelo 2015. Ele chegou a ir até o local para mostrar o veículo aos amigos.