Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Policial

Polícia Ambiental autua acusados de pesca ilegal e corte de madeira

O dono da fazenda que armazenava a madeira ilegal é residente da cidade paranaense de Sarandi

Conjuntura Online

21 de Fevereiro de 2011 - 13:24

pouco mais de uma semana para o fim do período de defeso no rios do Estado, a Polícia Militar Ambiental autuou dois homens acompanhados de um adolescente enquanto praticavam pesca no rio Maçai.
 
Os acusados, todos residentes no município de Itaquiraí, foram encontrados pelos policiais após verificaram uma carroça estacionada próxima à ponte sobre o rio. A ação aconteceu durante fiscalização da PMA na BR 163, entre Itaquiraí e Naviraí, na tarde de sábado (19).
 
Os autuados estavam com sete redes de pesca, oito caniços e quatro molinetes para a pesca predatória. A PMA apreendeu o material e encaminhou os pescadores à delegacia de polícia civil do município para que eles respondam pelo crime de pesca predatória.
 
De acordo com a PMA, para caracterizar o crime não há necessidade de haver a captura de pescado, uma vez que a captura não existiu em função da eficiência da fiscalização. Cada pescador foi autuado administrativamente e recebeu multa der R$ 750,00. O adolescente não foi autuado.
 
O proprietário de uma fazenda do município de Japorã foi autuado e recebeu uma multa de R$ 6,6 mil por armazenar madeiras sem documentação de origem. A madeira foi encontrada durante fiscalização da PMA de Porto Mundo Novo no sábado (20).
 
Na propriedade foram encontradas quatro toras e 6,22 metros cúbicos de pranchões de madeira da espécie ipê; 225 lascas (para cerca) de madeira da espécie candeia; cinco mourões (tora para cerca) de madeira da espécie angico e 50 mourões de candeia.
 
O dono da fazenda que armazenava a madeira ilegal é residente da cidade paranaense de Sarandi. Caso seja condenado pela acusação de crime ambiental, pode pegar pena de seis meses a um ano de detenção.  
 
Em Três Lagoas um homem foi autuado e multado em mil reais por policiais da PMA por cortar árvores utilizando uma motosserra sem licença de porte e uso. A documentação legal é emitida pelo Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente).
 
Segundo a PMA, o autuado foi contratado para fazer o corte de uma árvore da espécie jatobá. Para isso ele tinha a autorização do órgão ambiental competente. A motosserra foi apreendida e o acusado deve responder pelo crime ambiental de utilizar o equipamento sem autorização legal. A pena para este crime é de três meses a um ano de detenção.