Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Abril de 2021

Policial

Polícia esclarece latrocínio do pioneiro de Nova Andradina

Ao todo, cinco adolescentes foram apreendidos e dois adultos presos. Entre os adultos, um homem de 49 anos foi detido por posse ilegal de arma de fogo

Nova News/Policia Civil

03 de Novembro de 2014 - 16:45

A Polícia Civil de Nova Andradina (MS) apresentou, na manhã desta segunda-feira (03), os responsáveis por pelo menos cinco crimes ocorridos nos últimos dias no município. Entre eles, os dois adolescentes que confessaram a autoria do crime de latrocínio (roubo seguido de morte), que vitimou Pearcy de Castro, um dos pioneiros da cidade, na última quinta-feira (30).

Ao todo, cinco adolescentes foram apreendidos e dois adultos presos. Entre os adultos, um homem de 49 anos foi detido por posse ilegal de arma de fogo, pagou fiança e vai responder em liberdade, e uma mulher de 33 anos foi detida por tráfico de drogas. A ação, comandada pelo delegado Luiz Quirino, contou com policiais civis e militares de Nova Andradina, Batayporã, Taquarussu, agentes da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM) e da Força Tática.

No caso do latrocínio, os dois adolescentes, armados com um revólver 32, entraram na casa de Pearcy de Castro, de 88 anos, renderam ele a sua esposa, uma mulher de 79 anos, a procura de joias. De acordo com delegado, o crime foi premeditado, uma vez que os autores teriam visto a vítima ostentando correntes e pulseiras, que seriam de ouro, o que chamou a atenção dos adolescentes infratores.

No momento da apreensão dos menores, um de 16 e outro de 17 anos, eles estavam na companhia de outro menor, de 17 anos, que é filho de um policial e fugitivo da Unidade Educacional de Internação (UNEI) da cidade de Ponta Porã. No momento da abordagem, eles tentaram fugir, mas foram detidos. Em poder do trio foi encontrado um revólver Taurus, calibre 32 e uma motocicleta que é produto de furto ocorrido em Batayporã.

Foi apurado pelas autoridades que a arma localizada na casa é a mesma que foi utilizada durante o latrocínio que vitimou Pearcy de Castro. Segundo os autores, as joias subtraídas da casa do idoso foram vendidas para pessoas desconhecidas e a polícia ainda não conseguiu recuperar estes objetos. Dois dos adolescentes confessaram a participação em diversos crimes ocorridos na cidade, inclusive fornecendo detalhes que coincidiram com depoimentos de vítimas.

A Polícia Civil apurou também que, um dos menores que participou do latrocínio, horas depois, executou uma tentativa de latrocínio, que terminou com uma vítima baleada nas costas. Nesta oportunidade, ele agiu em companhia de outro parceiro. O adolescente de 16 anos confessou também a participação no crime, informando que um deles desferiu os tiros (dois para o alto e dois em direção à vítima). Eles foram reconhecidos e a polícia afirmou que a arma é a mesma utilizada no crime contra Pearcy.

Todas as pessoas detidas estão à disposição do Ministério Público, que deve representar, junto ao Poder Judiciário, pela internação dos menores que, por serem 'incapazes de responder por seus atos', em pouco tempo, podem ser reinseridos na sociedade.