Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Policial

Taxista que sobreviveu a dois assaltos teve alta nesta manhã

Há um mês, a vítima foi vítima de roubo e salvo de um disparo pelo celular que estava no bolso dele

Campo Grande News

17 de Janeiro de 2011 - 14:12

O taxista Erculano Pereira Fernandes, 56 anos, recebeu alta da Santa Casa de Campo Grande na manhã desta segunda-feira (17). Ele estava internado no local desde a última sexta-feira (15), após levar um tiro durante assalto em Maracaju, cidade localizada a 160 quilômetros de Campo Grande. Há um mês, a vítima foi vítima de roubo e salvo de um disparo pelo celular que estava no bolso dele.

A bala atingiu o pescoço do taxista perfurando o pulmão e esôfago. Por conta do ferimento no aparelho respiratório, Erculano passa por processo de drenagem. De acordo com o hospital, ele está consciente e orientado. Erculano está acompanhado pela esposa no pronto socorro do hospital.

Assalto - De acordo com informações do site Dourados Agora, o crime foi em Maracaju, cidade a 160 quilômetros de Campo Grande. O taxista recebeu uma ligação para uma corrida na noite da última sexta-feira, dia 14, com destino ao conjunto Napoleão, saída para Jardim, onde levaria duas pessoas.

Em um determinado local, os homens anunciaram o assalto e mandaram Erculano descer do carro. Um deles disse: “Da outra vez você escapou, mas desta vez não escapa”, e atiraram três vezes, mas somente um disparo atingiu a vítima. Os bandidos pegaram o dinheiro e fugiram. O taxista disse à Polícia, no hospital de Maracaju, que reagiu ao assalto.

No dia 21 de dezembro Erculano foi chamado para uma corrida de um posto até o Centro de Maracaju. Durante o trajeto um Gol passou a seguir o Pálio do taxista e deu sinal de luz para que a vítima parasse.

Erculano percebeu que era uma armadilha e acelerou o carro até 180 quilômetros por hora, mantendo a velocidade constante e disse que caso fosse baleado poderia perder o controle e todos morreriam.

O bandido insistiu que a vítima parasse o táxi e diante da negativa atirou 2 vezes. O primeiro disparo acertou o pára-brisa do carro e o outro o celular de Erculano, que estava no bolso. O Gol que fazia a perseguição ao taxista capotou e o condutor fugiu a pé.

Os policiais militares prenderam três envolvidos no roubo, Alexsandro, que cumpria pena no regime semiaberto e estava uma arma calibre 38, Rodrigo Bronzer Capelari, de 25 anos, que estava indo socorrer Alexsandro numa moto com placa de Dourados, e Fabiano Marques Viana, de 23 anos. Este último teria locado o veículo Gol, utilizado para perseguir o táxi.