Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Abril de 2021

Política

Ajustes pode garantir a Enelvo Felini vaga na Assembleia Legislativa

Estas especulações não foram confirmadas pelo ex-prefeito, que preferiu adotar uma postura de cautela nas articulações quanto ao espaço no futuro governo tucano.

Marcos Tomé/Região News

29 de Outubro de 2014 - 13:32

O ex-prefeito de Sidrolândia Enelvo Felini (PSDB) poderá assumir vaga na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, caso a partir de janeiro de 2015, a composição do primeiro escalão do futuro governador, Reinaldo Azambuja (PSDB), contemple dois deputados de sua coligação.

Para que o secretário geral do partido no Estado assuma vaga, cogitam-se várias possibilidades, entre elas, de que o produtor rural José Roberto Teixeira (DEM), assumiria função estratégica na região da Grande-Dourados num futuro desmembramento da Secretaria de Governo, com a criação de um polo administrativo setorial.

Felini ficou na segunda suplência de sua coligação com 9.532 votos (0.73%), neste cenário, o vereador solidário de Campo Grande, Herculano Borges, com quase o dobro de votos, 16.813 votos (1.28%), seria contemplado na Assembleia. O deputado tucano reeleito com 29.386 votos (2.24%), Rinaldo Modesto de Oliveira, o Professor Rinaldo, também estaria sendo cotado para compor o primeiro escolão de Azambuja, abrindo espaço para Felini assumir vaga.

Estas especulações não foram confirmadas pelo ex-prefeito, que preferiu adotar uma postura de cautela nas articulações quanto ao espaço no futuro governo tucano. “Reinaldo esteve em minha casa quando nos convenceu a disputar a eleição. Ele tem compromissos com Sidrolândia, não tenho dúvida de que teremos um espaço importante, mas ainda é cedo para fazer qualquer projeção”, afirma Enelvo.

Por telefone ao RN, Felini se limitou em informar que as chances de ocupar uma cadeira na Assembleia são reais, não vê dificuldade na composição do primeiro escalão com os nomes citados, porque são pessoas de extrema confiança de Reinaldo, mas preferiu não emitir opinião. “Independente do cenário, o Reinaldo pode me usar onde achar que melhor. O importante é fazer um governo austero para o povo sul-mato-grossense”, concluiu.