Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Abril de 2021

Política

André e Reinaldo devem definir a equipe de transição na semana que vem

Reinaldo adiantou que a própria equipe de transição dos governos terá pessoas que vão ocupar espaço na próxima gestão

Conjuntura On-line

01 de Novembro de 2014 - 10:29

O governador eleito Reinaldo Azambuja (PSDB) deve se reunir na próxima semana com o governador André Puccinelli (PMDB) para definir a equipe de transição que irá tirar uma “radiografia” da situação administrativa do Estado visando o próximo exercício financeiro. 

Após a proclamação do resultado oficial do segundo turno das eleições, no último domingo (26), Reinaldo resolveu tirar uma semana de descanso para, em seguida, encaminhar as discussões em torno da transição de governo. 

"Vamos trabalhar, a partir da semana que vem, na equipe de transição. Temos alguns nomes, que são de pessoas com perfil técnico. Vamos buscar também partidos aliados. Você precisa ter uma base de apoio na Assembleia Legislativa e vamos compor o governo com esses partidos", declarou o governador eleito, durante entrevista após a contagem dos votos pelo TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). 

Reinaldo adiantou que a própria equipe de transição dos governos terá pessoas que vão ocupar espaço na próxima gestão. "Agora vamos organizar. Ontem (domingo), o governador me ligou para nós organizarmos a equipe de transição. Combinamos que, a partir da semana que vem, nós vamos ver as pessoas que vão compor essa equipe para trabalhar a transição de um governo para o outro", explicou.

Reinaldo será empossado no dia 1º de janeiro, data a partir da qual pretende enviar à Assembleia Legislativa um pacote de medidas de ajuste da máquina administrativa estadual. O futuro governador vai administrar um orçamento de R$ 13,057 bilhões, cuja proposta terá de ser votada pela Assembleia Legislativa até o dia 15 de dezembro.

Saúde, segurança pública e escola em tempo integral são as prioridades apontadas no plano de governo, segundo ele. No entanto, a prioridade no começo de seu mandato é promover uma minirreforma administrativa. 

A ideia é promover remanejamento administrativo. Está em seus planos dividir a Seprotur (Secretaria de Produção e Turismo) em uma Secretaria de Agricultura, Pecuária, Agricultura Familiar e Vigilância Sanitária e uma Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo e Serviço. 

“Essas duas vão se desmembrar, até pela importância desses setores”, adiantou Reinaldo, que também promete criar a Superintendência de Assuntos Indígenas, para funcionar como canal permanente de diálogo com as aldeias do Estado.

BUROCRACIA EXCESSIVA 

Em entrevista à imprensa nesta sexta-feira, André Puccinelli adiantou que será um dos membros da equipe de transição para evitar uma “burocracia excessiva”. André afirmou que sabe "o que acontece em cada secretaria" e por isso participará do grupo a ser formado por integrantes do seu governo com representantes do governador eleito. 

Ele também explicou que não haverá nenhuma dificuldade no fornecimento de documentos. "Eu havia dito antes que, fosse quem fosse o governador eleito, receberia todos os documentos necessários". André disse que Reinaldo telefonou para ele logo depois dos resultados das eleições e disse que viajaria alguns dias para descansar e, no retorno, trataria da formação da equipe de transição.