Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Outubro de 2020

Política

Ato pró-Giroto reúne cerca de 10 mil pessoas na sede da Associação Nipo Brasileira

Líderes dos partidos que formam a coligação que soma 16 legendas também estão no evento. Um deles é o candidato a vice-prefeito na coligação de Giroto, Dagoberto Nogueira

Campo Grande News

16 de Outubro de 2012 - 09:25

Cerca de 10 mil pessoas participam nesta segunda-feira (15) de ato político pró-candidatura a prefeito de Edson Giroto (PMDB), na sede da Associação Nipo Brasileira, em Campo Grande. No primeiro turno, evento semelhante, também na Nipo, reuniu aproximadamente 8,5 mil pessoas, segundo os organizadores.

Entre os participantes do evento desta noite estão várias lideranças do partido, como o governador André Puccinelli, o prefeito Nelson Trad Filho, o deputado federal Fábio Trad, a vice-governadora Simone Tebet e o senador Waldemir Moka, além vereadores eleitores na Capital e deputados estaduais.

Líderes dos partidos que formam a coligação que soma 16 legendas também estão no evento. Um deles é o candidato a vice-prefeito na coligação de Giroto, Dagoberto Nogueira (PDT).

Segundo ele, foi realizada uma pesquisa que aponta que a maioria dos eleitores de Reinaldo Azambuja (PSDB), terceiro colocado no primeiro turno, não vai seguir a opção escolhida pelo tucano no segundo turno.

“A pesquisa mostra que 76% dos eleitores que votaram no Reinaldo não seguirão quem ele apoiar no segundo turno", declarou Nogueira.

O candidato Edson Giroto comentou sobre a decisão de Azambuja, anunciada nesta segunda, de apoiar o candidato Alcides Bernal (PP) no segundo turno. “Só o tempo dirá se foi certo ou não a escolha dele”, afirma o peemedebista.

Giroto também afirma que o PMDB faz uma campanha pensando em Campo Grande e não faz promessa que não poderá cumprir. Para ele os votos de Reinaldo compreendem as classes A e B da população, além de servidores públicos.

“O povo vai cobrar do Reinaldo depois. Como ele, que sempre criticou o PT, agora é aliado”, questionou Giroto, se referindo ao apoio do PSDB e PT à Bernal neste segundo turno.