Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 20 de Junho de 2024

Política

Bancada do SDD convence Marcos Roberto a desistir de candidatura “kamikaze” à presidência da Câmara

Caberá ao presidente dos solidários, vereador Jurandir Cândido, coordenar as articulações e se pronunciar sobre a eleição da Mesa Diretora do legislativo

Flávio Paes/Região News

03 de Novembro de 2014 - 21:45

O vereador Marcos Roberto (SDD) foi convencido, em principio, pelo presidente de seu partido, Jurandir Cândido, a desistir da disputa pela presidência da Câmara Municipal a qualquer custo, ainda que só tivesse o próprio voto. Em pronunciamento na sessão ordinária desta segunda-feira, Marcão, anunciou o seu novo posicionamento e garantiu que vai acompanhar a decisão do partido, mesmo que ele não seja escolhido para encabeçar a chapa. “Aquilo que o meu partido decidir, vou aceitar”, garantiu.

Caberá ao presidente dos solidários em Sidrolândia, vereador Jurandir Cândido, coordenar as articulações e se pronunciar sobre a eleição da Mesa Diretora do legislativo sidrolandense em nome do partido. O grupo se reunificou após um período de racha depois que Jurandir e Marcão abandonaram a oposição mais radical ao governo, contrariando a postura adotada por David Olindo e Mauricio Anache. A divergência foi superada e a bancada agora parece unificada em torno da escolha do futuro presidente da Câmara.   

Marcão desistiu de ser candidato a presidente pelo menos ao estilo kamikaze (suicida) que vinha pregando. Segundo Jurandir, ele (Marcos Roberto) até pode ser o nome do SDD para encabeçar a chapa, mas a escolha terá de ser precedida de uma ampla negociação com os vereadores de oposição e também com a própria base do Governo, caso haja interesse no entendimento.   

“Como tem a maior bancada, com 4 integrantes, o SDD não pode renunciar a possibilidade de assumir o comando da Mesa Diretora”, comenta o dirigente “solidário”. Jurandir não mostra interesse pela Presidência, porque teria dificuldade de conciliar a atuação no comando do Legislativo com suas atividades profissionais como médico, mesma postura do colega de profissão e de partido, Mauricio Anache. O vereador David Olindo em princípio não é candidato, mas coloca seu nome a disposição caso, esta seja uma posição de consenso.

Com a experiência de quem já foi presidente da Câmara três vezes, David está convencido de que se iniciar qualquer articulação com vistas a se tornar presidente, algumas forças políticas se unirão para inviabilizar sua pretensão. Ele se diz disposto a aceitar o desafio de assegurar uma atuação independente do Legislativo, no cumprimento das suas prerrogativas de fiscalização do Executivo e na elaboração das leis.

Teoricamente a bancada do SDD e os três vereadores de oposição (Rosangela Rodrigues, Nélio Paim e Edivaldo dos  Santos), com sete votos, se estiverem unidos, garantem a presidência. Na base do governo se apresentam como postulantes ao cargo, a vereadora Vilma Felini (PSDB), Sérgio Bolzan (PT), além do próprio presidente, Ilson Peres, que pode pleitear a reeleição.