Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 26 de Outubro de 2020

Política

Bernal diz que não terá problemas com a Câmara

Ele disse que respeita muito os vereadores até porque é oriundo do legislativo e por isso não acredita que terá dificuldades em manter um diálogo institucional.

Willams Araújo/Conjuntura On-line

30 de Outubro de 2012 - 14:41

O prefeito eleito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), disse nesta terça-feira (30), em entrevista na Assembleia Legislativa, que não terá problemas de relacionamento com a Câmara de Vereadores pelo fato de contar com minoria na Casa.

Ele disse que respeita muito os vereadores até porque é oriundo do legislativo e por isso não acredita que terá dificuldades em manter um diálogo institucional.

O prefeito eleito contará com bancada composta por oito vereadores. A coligação que apoiou o candidato do PMDB, deputado federal Edson Giroto, derrotado no segundo turno, elegeu 21 representantes.

“Conheço todos os vereadores e tenho a certeza que eles não vão atuar contra a população de Campo Grande, vamos procurar o diálogo”, disse.

Para analistas, Bernal terá de conversar muito, negociar politicamente com os vereadores para não ter problemas em sua administração, até porque terá a minoria da representatividade no legislativo.  Ao contrário da oposição, que contará com um poder de barganha muito forte, podendo inclusive "abortar" seus projetos, inviabilizando assim a sua administração.

Em relação à disputa pela presidência da Mesa Diretora da Casa, o prefeito eleito prometeu não interferir no processo, por entender que esse é um assunto que interessa apenas aos vereadores.

Bernal informou que ainda não definiu a composição de sua equipe de transição de governo, acrescentando que primeiro precisa conversar com técnicos para então tomar uma posição.

Questionado, o progressista reafirmou que irá fazer uma auditoria na prefeitura para tirar uma radiografia da situação, sobretudo, ter conhecimento de todos os contratos e investimentos ao longo da administração do prefeito Nelsinho Trad (PMDB), que encerrará um ciclo de oito anos no poder dos mais de 20 anos de hegemonia do PMDB.

Representatividade

Cazuza e Chocolate O Jarbas são os vereadores eleitos que vão integrar a bancada do PP na Câmara da Capital.

Dos partidos que apoiaram Bernal no segundo turno, o PT foi o que conseguiu maior número de cadeiras: Thais Helena, reeleita; Ayrton de Araújo; e Zeca do PT, o mais votado.

O PSDB terá dois vereadores a partir de 2013 – Professora Rose e Professor João Rocha, ambos reeleitos. Luiza Ribeiro, representante do PPS, completa a lista dos aliados de Bernal na Câmara.

Só o PMDB, partido de Giroto, emplacou cinco vereadores. Paulo Siufi, Mário César e Vanderlei Cabeludo foram reeleitos. Edil Albuquerque – ex-vice-prefeito – voltou à Casa de Leis, e Carla Staphanini foi eleita pela primeira vez.

PSD e PT do B elegeram três vereadores cada. Da primeira legenda, são Delei Pinheiro, Chiquinho Telles e Coringa; da segunda, Flávio César, Otávio Trad e Eduardo Romero. Dr. Jamal e Grazielle Machado são os representantes do PR; Elizeu Dionísio e Alceu Bueno integram o PSL.

Carlão (PSB), Airton Saraiva (DEM), Herculano Borges (PSC), Gilmar Neri da Cruz (PRB), Paulo Pedra (PDT) e Edson Shimabukuro - My Body (PTB) completam as cadeiras da oposição.

Dos 21 vereadores que estão no exercício do mandato, 17 concorreram a reeleição e 13 se reelegeram. Com o aumento de cadeiras para 29 na legislatura que começa em 2013, foram eleitos 16 novos vereadores no município.

Matéria alterada às 11h54 para inclusão de informações