Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 28 de Janeiro de 2022

Política

Candidato à presidência do Paraguai faz campanha antecipada em MS

Mas, para que os paraguaios que vivem no exterior tenham direito ao voto nas próximas eleições, ainda há um longo caminho

G1MS

24 de Maio de 2011 - 15:31

A eleição que vai escolher o novo presidente no Paraguai será em 2013, mas a campanha já começou para pelo menos cerca de 25 mil paraguaios que vivem legalmente em Mato Grosso do Sul. Nesta terça-feira (24), o general da reserva Lino César Oviedo participou de evento em Campo Grande, capital do estado.

O ex-comandante do Exército é líder do partido UNACE (União Nacional dos Cidadãos Éticos). Ele apresentou os principais pontos da sua campanha em compromisso público.

Mas, para que os paraguaios que vivem no exterior tenham direito ao voto nas próximas eleições, ainda há um longo caminho. A participação deles no pleito depende do resultado do referendo nacional marcado para o dia 9 de outubro, alterando a constituição.

Histórico político

Lino César Oviedo Silva já foi comandante do Exército, esteve preso por tentativa de golpe e criou um partido justamente para ser o seu líder e o candidato nas eleições presidenciais. Carismático e bem conectado às camadas mais pobres da população, justamente o meio onde cresceu, Lino Oviedo é tido como um político de linha dura.

Além do golpe, Oviedo foi acusado de mandar matar o ex-vice-presidente Luis María Argaña. Chegou a ser condenado a dez anos de prisão em 1996, mas foi solto com cerca da metade da pena cumprida e, na seqüência, autorizado a disputar o pleito presidencial. Antes, porém, chegou a ficar preso e mais tarde teve o ‘status’ de exilado no Brasil. O Supremo Tribunal Federal rejeitou um pedido de extradição do Paraguai e o liberou 18 meses depois.