Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 31 de Outubro de 2020

Política

Com apoio da nacional, Chocolate desafia Bernal e faz planos no PP

De acordo com ele, após este “aval” da direção nacional, irá continuar sua trajetória no PP e já estuda a possibilidade de disputar vaga no legislativo estadual.

Campo Grande News

14 de Fevereiro de 2014 - 15:26

O vereador Chocolate (PP) esteve, na quarta-feira (12) em reunião com a direção nacional do PP, para discutir a permanência na legenda. Ele recebeu o apoio do presidente, o senador Ciro Nogueira, e já faz até planos no partido, inclusive tendo a possibilidade de ser candidato a deputado estadual. Com aval da cúpula nacional, ele desafio o prefeito Alcides Bernal (PP) e pode continuar fora da base na Câmara Municipal.

Chocolate foi expulso pela direção do PP, após ter votado a favor da abertura da Comissão Processante contra Bernal, no entanto através de liminar da justiça conseguiu permanecer no partido “desafiando” a intenção do prefeito, que não queria ele mais no PP.

“Apesar da decisão estadual, o presidente do PP falou que não era a intenção que eu saísse, e inclusive apresentou o projeto de expansão do partido nos estados, para eleger deputados estaduais e federais”, ressaltou o vereador.

De acordo com ele, após este “aval” da direção nacional, irá continuar sua trajetória no PP e já estuda a possibilidade de disputar vaga no legislativo estadual. “Com este apoio, realmente vou pensar nesta hipótese, não era minha intenção, mas fiquei motivado com as palavras do presidente”, apontou.

Chocolate ainda revelou que caso sua “liminar” seja suspensa no Estado, a direção nacional garantiu que “segura” sua permanência na legenda. “O presidente me disse para ficar tranquilo sobre esta situação, que será resolvida na esfera superior”.

Posição - O vereador reconhece que após esta “perseguição” política, sofrida em função do prefeito Alcides Bernal, sua posição na Câmara Municipal é de “independência”. No entanto não descarta “abrir diálogo” com o prefeito.

Chocolate foi expulso por infidelidade partidária e falta de decoro, por votar contra os interesses do prefeito. O vereador se defendeu dizendo que não havia nenhuma indicação do PP para a votação da Comissão Processante e que seu voto foi a favor da investigação e não sobre a cassação de Bernal.

Na época Chocolate ressaltou que ao invés de cuidar das ruas da cidade que estavam sujas e abandonadas, além de se explicar sobre o aumento do IPTU, Bernal preferia persegui-lo, pois interpretou mal sua posição na Câmara Municipal.