Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 22 de Abril de 2021

Política

Delcídio vence em Sidrolândia, mas teve desempenho pior que Zeca em 2010

Enquanto a votação de Delcídio do primeiro para o segundo turno cresceu 14,56% (de 9.939 para 11.387 votos), a do seu adversário, Reinaldo Azambuja, cresceu 36,25%.

Flávio Paes/Região News

26 de Outubro de 2014 - 20:17

Derrotado na disputa pelo Governo do Estado por Reinaldo Azambuja, candidato do PSDB, por uma diferença de 143 mil votos, em Sidrolândia o candidato do PT, Delcídio do Amaral, foi o mais votado. Obteve  53,36% dos votos, desempenho pior que o alcançado por Zeca do PT em 2010, quando o ex-governador disputou o Governo do Estado, praticamente sozinho, enfrentando PMDB, PSDB, que apoiaram a reeleição do governador André Puccinelli, além do próprio Delcídio que fez dobradinha com o peemedebista Waldemir Moka, quando disputou a reeleição no Senado.  

Há quatro anos, na eleição de 2010, Zeca saiu das urnas com 56,29% dos votos válidos, impondo uma dianteira de 2.644 votos sobre Puccinelli, que assegurou 8.502 votos (42,94% dos votos válidos). O ex-governador petista que em 05 de outubro obteve mais de 4 mil votos no município como candidato a deputado federal, em 2002, quando foi reeleito governador, atingiu 59,90% dos votos válidos.

Enquanto a votação de Delcídio do primeiro para o segundo turno cresceu 14,56% (de 9.939 para 11.387 votos), a do seu adversário, Reinaldo Azambuja, cresceu 36,25% (pulou de 7.306 para 9.955 votos). O candidato tucano obteve 64% dos votos dos demais candidatos que disputaram o primeiro turno (Nelsinho Trad, Evander Vendramini, Professor Monje e Sidney Mello). Ficou com 2.649 dos 4.139 votos obtidos por estes postulantes. Já Delcídio ficou com 34,98%, 1.434 votos.

Este desempenho de Reinaldo (46,64% dos votos válidos) superou o do governador André Puccinelli, que em 2010, quando disputou e se reelegeu, teve 42,94%. Pesou em seu favor o fato da Prefeitura ser administrada pelo PSDB e de que boa parte das forças políticas estiveram no seu palanque, inclusive lideranças do PMDB que superaram suas divergências paroquiais com os tucanos. O PDT local, que no âmbito estadual esteve coligado com Delcídio, apoiou o candidato do PSDB.