Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Política

Derrotado no partido, vereador ignora Justiça e lança candidatura

Conjuntura Online

14 de Janeiro de 2011 - 09:21

O vereador Elias Ishy (PT) declarou “guerra” para disputar o mandato tampão 2011-2012 da segunda maior cidade do Estado. Mesmo com o registro da candidatura barrada pelo juiz Eduardo Machado Rocha, Ishy lança hoje a campanha que dará o “primeiro passo” para o corpo a corpo com o eleitorado. 

Se seu esforço for compensado o vereador enfrentará nas urnas Murilo Zauith (DEM), José Araújo (PSOL), Geraldo Sales (PSDC) e Genival Antônio Valeretto (PMN). 

O trunfo do petista é desbancar a coligação União por Dourados encabeçada por Murilo, que tem apoio dos seguintes partidos: coligação de 15 partidos (DEM, PT, PMDB, PDT, PSDB, PPS, PSB, PSL, PTB, PT do B, PR, PV, PSC, PSDC e PRB).

Justamente a mesma coligação da qual faz parte sua correligionária Dinaci Ranzi, escolhida pelos delegados do PT  para ser candidata a vice-prefeita na chapa do democrata, considerado adversário histórico dos petistas.

O evento será às 19h, no comitê do PT em Dourados. Ishy e o seu vice, o empresário Ricardo Demaman, entraram com recurso no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) para tentar validar a candidatura e derrubar a decisão proferida pelo juiz.

Convincente que terão uma resposta positiva, os petistas convocaram hoje toda a militância do partido para acompanhar o lançamento da campanha. “Mais de 90% da base petista é contrária a aliança de PT e DEM”, disse o candidato.

Caso o TRE mantenha favorável a impugnação e valide a aliança que formou a coligação do candidato Murilo Zauith (DEM), que tem como vice a petista Dinaci Ranzi, Ishy promete recorrer a todas as instâncias. “Não vamos desistir dessa disputa porque essa aliança vai contra a história do partido”, argumentou o vereador.

A decisão do TRE pode sair a qualquer momento. Até lá, os petistas de esquerda que apoiam Ishy vão estar em campanha. “Enquanto não sair uma resposta definitiva do comando nacional e das instâncias da justiça vamos permanecer em campanha”, enfatizou. 

No TRE, Ishy e Demaman declararam que pretendem gastar no máximo R$ 300 mil. “Estamos arrecadando dinheiro e vamos enfrentar os demais candidatos com o que tiver a nossa disposição. Se arrecadarmos R$ 20 mil, será com essa verba que vamos para as ruas”, disse o vice Ricardo Demaman.

IMPUGNAÇÃO

O vereador Elias Ishy teve a candidatura impugnada porque o juiz Eduardo Machado Rocha interpretou que o PT não poderia disputar a eleição em alianças diferentes, pois teria definido o rumo político na convenção em que o partido estaria aliado ao Democratas.

Ishy apresentou recurso ao TRE mencionando que a Executiva Nacional do PT proíbe aliança com o DEM. Ele aguarda, dessa forma, uma decisão da direção nacional para que anule a convenção de aliança entre os partidos. Com essa anulação seria possível fazer o registro da candidatura de Ishy. Com informações do jornal O Progresso.