Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Política

Dilma confirma dois últimos nomes e fecha ministério

PT acumulou 17 dos 37 ministérios; PMDB ficou com seis

Campo Grande News

22 de Dezembro de 2010 - 15:09

A presidente eleita Dilma Rousseff já definiu todos os ministros para o seu governo, que tem início no dia 1º de janeiro com a posse dela.

Nesta quarta-feira, Dilma anunciou os nomes dos últimos dois ministros: os deputados federais Iriny Lopes (PT-ES) e Afonso Florence (PT-BA), respectivamente para a Secretaria de Políticas para as Mulheres e a pasta do Desenvolvimento Agrário. Nenhuma nova pasta foi criada.

O PT acumulou 17 dos 37 ministérios, entre eles, Fazenda (Guido Mantega), Ciência e Tecnologia (Alozio Mercadante), Secretaria-Geral (Gilberto Carvalho), Justiça (José Eduardo Cardozo), Casa Civil (Antonio Palocci), Comunicações (Paulo Bernardo), Desenvolvimento, Indústria e Comércio (Fernando Pimentel) e Planejamento (Miriam Belchior).

As outras pastas que ficaram com o PT foram Pesca (Ideli Salvatti), Direitos Humanos (Maria do Rosário), Educação (Fernando Haddad), Saúde (Alexandre Padilha), Igualdade Racial (Luiza Bairros), Desenvolvimento Social (Tereza Campelo), Secretaria de Relações Institucionais (Luiz Sérgio), Secretaria das Mulheres (Iriny Lopes) e Desenvolvimento Agrário (Afonso Florence).

O PMDB, do vice-presidente Michel Temer, ficou com seis pastas: Agricultura (Wagner Rossi), Turismo (Pedro Novais), Previdência (Garibaldi Alves), Minas e Energia (Edison Lobão), Secretaria de Assuntos Estratégicos (Moreira Franco) e Defesa (Nelson Jobim).

Já o PSB ficou com duas pastas - Integração Nacional (Fernando Bezerra Coelho) e Portos (Leônidas Cristiano) – e o PC do B ficou com o ministério do Esporte (Orlando Silva).

Para o PR ficaram a pasta dos Transportes (Alfredo Nascimento). O PDT permanece com o Ministério do Trabalho (Carlos Lupi) e o PP ficou com o das Cidades (Mário Negromonte).

Os ministros sem filiação partidária são Antonio Patriota, das Relações Exteriores, Helena Chagas, da Comunicação Social, Izabella Teixeira, do Meio Ambiente e Ana de Hollanda, de Cultura.

Também sem filiação estão outros integrantes de alto escalão do governo de Dilma: Alexandre Tombini, para a presidência do Banco Central; José Elito Carvalho Siqueira, para o Gabinete da Segurança Institucional, Jorge Hage, para a Controladoria-Geral da União, e Luís Inácio Lucena Adams, para a Advocacia-Geral da União.