Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 30 de Novembro de 2020

Política

Em ano eleitoral, entrega de máquinas por Dilma a prefeitos cresce 1000%

As doações dos equipamentos fazem parte do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) para beneficiar municípios com até 50 mil habitantes.

O Globo

25 de Março de 2014 - 14:53

Pré-candidata à reeleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) acelerou a entrega de máquinas agrícolas em ano eleitoral. Levantamento feito pelo Globo, com base em informações do Ministério do Desenvolvimento Agrário e na agenda presidencial, mostra que, apenas nos dois primeiros meses de 2014, foram doados pelo governo federal a municípios 2.182 equipamentos, como retroescavadeiras, motoniveladoras e caminhões (média de 36 por dia).

De janeiro a dezembro de 2013, as prefeituras receberam 8.981 máquinas, média de 24 por dia. Em dois anos, as doações totalizaram R$ 3,5 bilhões na compra de veículos e equipamentos.

Dilma também turbinou sua presença na entrega de máquinas. De janeiro último até agora, a presidente participou de cinco eventos para doar 718 máquinas, com investimento de R$ 215,7 milhões.

No mesmo período do ano passado, a presidente entregou 71 equipamentos (R$ 11,1 milhões) em três eventos, um aumento de 1000%. Nesta terça-feira, Dilma participaria de uma cerimônia para doação de mais 343 veículos, em Araçatuba, São Paulo, que foi cancelado.

Dos cinco eventos de Dilma este ano, dois deles foram em Minas Gerais, reduto eleitoral do senador Aécio Neves (PSDB), outro pré-candidato à Presidência.  O estado recebeu das mãos de Dilma este ano 318 máquinas, com investimento de R$ 98,5 milhões. Os outros beneficiados foram Rio Grande do Sul (118), Ceará (172) e Pará (110), um investimento R$ 117,2 milhões.

Em 17 de fevereiro, Dilma foi a Governador Valadares (MG). A presidente entregou 92 máquinas agrícolas a cidades mineiras, totalizando R$ 31 milhões, para atender 500 mil moradores. No palanque, acompanhada de políticos aliados, Dilma chamou as doações de parceria republicana:

O que rege a questão das máquinas agrícolas é o espírito de parceria republicano. Não quero saber quem é e onde é que o prefeito tem seu coração político. Se o prefeito é de que partido. Não interessa. É direito do prefeito e da prefeita receber a máquina.

Para governo, doação é política de Estado

A lei eleitoral prevê que candidatos não podem participar de inaugurações de obras e eventos a partir de 5 de julho. Para David Fleischer, professor de Ciências Sociais da Universidade de Brasília (UnB), Dilma adotou uma estratégia para se aproximar do agronegócio:

O (governador de Pernambuco) Eduardo Campos (PSB, pré-candidato à Presidência) tentou fazer isso, mas a ex-senadora Marina Silva (Rede) bateu na mesa e não permitiu.

David Fleischer concluiu:

Chamamos essas entregas de máquinas de represamento de recursos para liberar a maioria do dinheiro em ano eleitoral.

As máquinas agrícolas têm o objetivo de ajudar os municípios a manter estradas em condições de uso para o trânsito de caminhões agrícolas, ônibus escolares e ambulâncias.

Municípios em situação de emergência por causa da seca também recebem caminhão-pipa. As doações dos equipamentos fazem parte do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) para beneficiar municípios com até 50 mil habitantes.

Desde dezembro do ano passado, a CGU (Controladoria Geral da União) investiga possíveis irregularidades na utilização dessas máquinas distribuídas pelo governo federal.

Segundo a CGU, informações sobre a auditoria só serão divulgadas quando o relatório final ficar pronto. A Controladoria não deu prazo para que isso ocorra.  De acordo com a assessoria de imprensa da CGU, um relatório preliminar já foi encaminhado ao Ministério do Desenvolvimento Agrário.

Procurada pelo GLOBO, a Presidência da República informou que apenas o Ministério do Desenvolvimento Agrário falaria sobre o caso. Este, porém, indicou Marco Antônio Viana Leite, diretor do PAC 2 e do programa Mais Alimentos.

Leite negou que haja cunho eleitoreiro:

Nossa política não é de governo, e sim de Estado, em que todos são beneficiados. Pode ser do PT, do PSDB, do PSB ou de qualquer outro partido político.

Segundo o diretor do PAC 2, até junho deste ano, ainda serão doadas mais cinco mil máquinas agrícolas, para totalizar 18 mil desde 2011 e beneficiar 5.061 cidades com menos de 50 mil habitantes e em estado de emergência devido à escassez de chuva.

Até o próximo dia 31 de março, vamos entregar 900 máquinas. Na verdade, queríamos entregar tudo até 2013. Mas o setor produtor de máquinas agrícolas não tem conseguido suprir a demanda de que gostaríamos — justificou Viana Leite.