Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Política

Murilo quer cuidar da prefeitura como uma empresa

Sobre os patrocinadores da campanha, Murilo responde: “eu, eu e algumas doações

Campo Grande News

02 de Fevereiro de 2011 - 16:07

Virtual prefeito de Dourados, segundo as pesquisas de intenção voto, Murilo Zauith (DEM) estima ter gastado cerca de R$ 150 mil na eleição, que será neste domingo.

É um valor pequeno, considerando se tratar da segunda maior cidade do Estado. Ele reaproveitou parte da estrutura da campanha para o Senado no ano passado e não contratou nenhum cabo eleitoral.

Sobre os patrocinadores da campanha, Murilo responde: “eu, eu e algumas doações”. Dois terços da receita de campanha vieram do bolso do próprio candidato.

“Gastei mais com TV e gráfica”, disse Murilo Zauith ao Campo Grande News. Para ele, a campanha não tomou conta das ruas porque não há candidatos a vereador, que nas eleições multiplicam a campanha dos prefeitáveis.

Se os institutos de pesquisa estiverem corretos, Murilo Zauith será eleito com folga após uma avalanche política que mandou para a prisão o prefeito Ari Artuzi, além de vice, secretários, vereadores e empresários.

Pesquisa Ibrape divulgada pelo jornal Correio do Estado mostra que o candidato do DEM tem 72% das intenções de voto. O segundo melhor colocado é Geraldo Sales (PSDC), com 5%.

“Os números bateram com as pesquisas [internas] que estamos fazendo”, disse Murilo.

Empresa abandonada - Cinco meses após o escândalo político desvendado pela Operação Uragano, a cidade dá claras demonstrações de total abandono pelo Poder Público. As ruas estão esburacadas, faltam remédios nos postos de saúde e faltou merenda nas escolas.

“Está tudo desarrumado”, resume o candidato. “Parte da infraestrutura está acabada, as ruas estão esburacadas, falta poda de árvores, a saúde tem desaprovação de 80% e na educação as aulas não iniciaram”, disse.

Para Murilo Zauith, a solução está em cuidar da prefeitura como uma empresa. “A prefeitura está sem comando. Tem que ser como uma empresa”, afirma.

Segundo o democrata, a prefeitura tem que ser cuidada no dia a dia e os secretários precisam ter planos de trabalho. Serão eles que terão, segundo Murilo, que fazer o raio-x da situação de cada área.

“Não é fácil. Eles (os secretários) têm que trabalhar muito ganhando R$ 4 mil líquido”, afirmou. Murilo disse que ainda não definiu mudanças nas secretarias.

Durante a campanha, ele se reuniu com secretários, com a prefeita Délia Razuk e com servidores para levantar informações sobre a administração que conta com 6,5 mil funcionários.

Uma das preocupações de Murilo é com relação à valorização dos servidores. “Temos que valorizar os profissionais. Todo o funcionalismo”, afirmou.

A proposta de Murilo é de restabelecer a normalidade em Dourados em um ano. Para a área de saúde, uma das críticas, o desafio é ainda maior: arrumar a saúde em 90 dias. “Esse é o meu compromisso. Sinto a responsabilidade aumentando a cada dia que passa”, disse.

O futuro administrador municipal irá cuidar da cidade até 2012, quando acontecem novas eleições em todo o País.