Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 29 de Janeiro de 2022

Política

Nelsinho não confirma apoio a Dilma e não descarta aliança com Azambuja

Ele ponderou que as definições partidárias irão ficar para o ano que vem, já que os partidos ainda estão estudando às melhores alternativas.

Campo Grande News

17 de Outubro de 2013 - 13:00

O ex-prefeito e pré-candidato do PMDB, Nelsinho Trad (PMDB), afirmou que o partido não fechou aliança com a presidente Dilma Rousseff (PT) em Mato Grosso do Sul e que pela ótima convivência que teve com o PSDB durante sua administração em Campo Grande, não descarta uma aliança com Reinaldo Azambuja (PSDB).

“O partido deixou que cada diretório estadual decidisse se vai apoiar a Dilma ou seguir outro candidato, aqui nós não decidimos, temos que analisar os candidatos nacionais”, destacou ele.

Nelsinho explicou que o governador André Puccinelli (PMDB) já anunciou seu apoio “pessoal” a presidente, mas que PT e PMDB nunca conseguiram se “juntar” aqui no Estado. “Vou ouvir o que as lideranças nacionais têm a me dizer, eu não me decidi”.

Convivência -  O ex-prefeito destacou que teve uma boa convivência com o PSDB durante os oito anos em Campo Grande e que os tucanos acrescentaram em sua administração. “Não podemos descartar esta parceria, temos que analisar vários cenários diferentes, temos que manter sempre as portas abertas”.

Ele ponderou que as definições partidárias irão ficar para o ano que vem, já que os partidos ainda estão estudando às melhores alternativas. “Ainda esta cedo para definição, vamos continuar articulando as alianças”.

Alianças - Nelsinho afirmou que uma parceria entre PSDB e PT em Mato Grosso do Sul seria “incoerente” e que a população não iria entender dois grupos que sempre estiveram em lados opostos. “Vale tudo agora na política? Justamente em uma época como agora que as pessoas estão mais exigentes?”, questionou.

O secretário ainda lembrou do apoio de Reinaldo Azambuja e Delcídio do Amaral (PT) ao prefeito Alcides Bernal (PP) na última eleição. “Eles resolveram apoiar o Bernal e olha só como está cidade, terão que arcar com as consequências”, apontou.

Ações – O peemedebista afirmou que está realizando ações da secretaria estadual e que recentemente fez uma palestra para 300 pessoas em Terenos. “Só voltamos a discutir eleição nos encontros regionais do PMDB, o próximo é 8 e 9 de novembro em Três Lagoas”, destacou.