Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 23 de Outubro de 2020

Política

Oposição convoca sociedade para fiscalizar eleição em Campo Grande

O movimento é capitaneado pelo senador Delcídio do Amaral (PT), pelos deputados federais Reinaldo Azambuja (PMDB) e Vander Loubet (PT) e pelo vereador Marcelo Bluma (PV).

Midiamax

27 de Outubro de 2012 - 07:43

Preocupados com o alto número de denúncias que chegam de toda a parte da cidade, líderes da oposição lançaram, nesta sexta-feira (26), manifesto no qual convocam a população para combater a compra de votos e garantir eleição limpa no próximo domingo (28).

O movimento é capitaneado pelo senador Delcídio do Amaral (PT), pelos deputados federais Reinaldo Azambuja (PSDB) e Vander Loubet (PT) e pelo vereador Marcelo Bluma (PV). Todos firmaram, em reunião na tarde de hoje, compromisso com Alcides Bernal (PP) de correr, no domingo, urna por urna para acompanhar a votação.

“É preciso que a população vá às ruas. Nós queremos que todo campo-grandense seja um fiscal da cidadania”, conclamou Delcídio. Ele e os demais parlamentares entendem que a eleição é a “oportunidade de mostrar que Campo Grande tem a força da gente e de concretizar a mudança, manifestada nas urnas no primeiro turno”.

Na primeira etapa do pleito, os seis candidatos da oposição conquistaram mais de 70% dos votos válidos.

Ainda durante o encontro, os líderes políticos destacaram a importância de não vender o voto e de assumir um compromisso com a cidadania ao lembrar que “o poder emana do povo”.

O manifesto destaca ainda a possibilidade de a população acionar a polícia civil e militar visando manter a democracia na cidade. Diante do apoio do Governo do Estado à candidatura de Edson Giroto (PMDB), os parlamentares alertaram o eleitor para cobrar dos órgãos estaduais o cumprimento de suas obrigações com a sociedade.

O alerta também vale para que a população redobre a fiscalização e acione o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) pelo disque-denúncia (67) 3326-0001 para informar eventuais irregularidades.

Na reta final do pleito, mobilizam a Justiça denúncias de compra de voto “fiado”. Nesta nova modalidade, o eleitor só receberia a oferta no caso de o candidato sair vitorioso das urnas.

Levando em conta informações que chegam ao comitê político, também preocupa Bernal armações que poderiam ser orquestradas para prejudicá-lo na corrida eleitoral e ameaças contra pessoas próximas. Na quinta-feira (25), ele efetivou a denúncia no TRE.