Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 21 de Junho de 2024

Política

PMDB espera definição do PT para fechar coligações

A tendência é que esta base partidária faça opção por uma chapa enxuta com no máximo 56 candidatos divididos em duas ou no máximo três coligações

Flávio Paes/Região News

26 de Junho de 2012 - 08:42

Os partidos já alinhados oficialmente com o PMDB (PR, PDT, PT do B, PSD, PSC) estão na expectativa de algumas definições. É possível que a indefinição persista até  sábado, prazo final  para  homologar em convenção candidaturas e alianças, para que as chapas de candidatos a vereador sejam fechadas. 

A tendência é que esta base partidária faça opção por uma chapa enxuta com no máximo 56 candidatos divididos em duas ou no máximo três coligações. Estas composições vão depender do desfecho das conversações com o PSB e da definição do PT e Democratas, que ainda podem migrar do palanque de Enelvo Felini para o de Acelino Cristaldo.

Nos dois partidos há grupos contrários a aliança com o PSDB que estão tentando anular o alinhamento com os tucanos aprovado na convenção de domingo. PR, PT do B e PSC marcaram para quinta-feira suas convenções, enquanto o PMDB e o PT se reunirão no sábado.

Se prevalecer o resultado do encontro municipal de sábado que aprovou a coligação com o PMDB, as chapas teriam a seguinte composição: PMDB/PSD; PR, PT do PB e PSC e uma terceira com PDT/PT e o PSB, caso o vice-prefeito Ilson Fernandes troque sua pré-candidatura pelo apoio a Acelino Cristaldo.

Já na hipótese de ser confirmada a aliança do PT com o PSDB, haveria outra configuração. Haveria um chapão com PMDB, PR e PDT. No grupo se alinhariam PT do B, PSC, PSD e o PSB, cenário, repita-se caso os “socialistas” faça opção pela aliança e desistam da candidatura própria.

A chapa PMDB e PSD já têm 11 pré-candidatos, incluindo os quatro vereadores peemedebistas. Este detalhe afugenta os aliados que resistem a concordar em se coligar com legendas onde haja muitos candidatos a reeleição.

Na Capital, por exemplo, a opção foi exatamente esta, a de ajudar numa mesma aliança, chapas com vários vereadores. Assim é que PMDB e PR vão disputar a eleição proporcional com oito vereadores na chapa. DEM, PDT, PSB e PT do B, terão com quatro vereadores concorrendo à reeleição.