Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 29 de Outubro de 2020

Política

Prefeito define três novos secretários e procura titular para a Secretaria de Governo

Serão mantidos os secretários Cezar Queiroz, Di Cezar, Leila Couto, Alice Rosa Gomes, Educação e Joana Michalsk na Assistência Social.

Flávio Paes/Região News

07 de Janeiro de 2014 - 21:37

Até o próximo dia 15 o prefeito Ari Basso anuncia toda a composição do 1º escalão e a nomeação dos ocupantes dos principais cargos em comissão previstos dentro da nova estrutura administrativa. Na virada do ano todos os comissionados e contratados foram exonerados.

A primeira super-secretaria com composição terá predomínio feminino e com forte influência do PSDB: a Secretaria de Administração, Planejamento e Finanças. A exceção nesta Secretaria é o petista Marcio Marquetti que ficará no comando do Departamento de Planejamento, que compreende as divisões de Planejamento Estratégico e Capacitação e de Projetos e Convênios. Vereadores petistas chegaram a ensaiar uma pressão para levar Marquetti de volta ao comando da Secretaria de Assistência Social.

Nesta terça-feira o prefeito definiu os titulares de três secretarias surgidas com a reforma. Carmem Gandolfi comandará a Secretaria de Administração, Planejamento e Finanças. Carmem que respondia pela extinta Secretaria de Finanças, foi coordenadora financeira da campanha da vereadora Vilma Felini. O advogado Wolfang Herzog vai comandar a Controladoria Geral e a também advogada, Patrícia Dal Paz Leite, ficará com a Procuradoria Jurídica, mas só será nomeada a partir da próxima semana, quando retorna de viagem.

Patrícia é filha da ex-secretária de Administração, Sonia Dal Paz e atuou como assessora do ex-vereador Di Cezar na Câmara. Sua nomeação para o 1º escalão inviabilizou a escolha da sua mãe para o Secretariado porque esbarraria na lei que proíbe o nepotismo.

Na prática, Sônia como chefe do Departamento de Administração da super-secretaria de Planejamento, Administração e Finanças, terá as mesmas atribuições que tinha como secretária: terá sob sua jurisdição oito divisões, abrangendo pessoal, compras, tecnologia da informação, patrimônio e suprimentos, atendimento, arquivo e protocolo.     

Outro nome definido para esta super-secretaria, é o de Angela Oliveira, que vinha atuando na Prefeitura como funcionária terceirizada. Ela comandará o Departamento de Finanças tendo na sua órbita três divisões (Tributação e Fiscalização, Contabilidade, Orçamento, Finanças e Tesouraria) e quatro setores: cadastro, lançamento e controle; controle orçamentário e prestação de contas. Todos são nomes ligados ao PSDB, em especial, a vereadora Vilma Felini e o ex-vereador Di Cezar.

Nesta quarta-feira deve ser sacramentada a escolha do ex-vereador Antonio Galdino, para a Secretaria de Infraestrutura, Habitação e Serviços Públicos, dentro da composição que pode trazer os dois vereadores do PDT à base governista na Câmara.

Só falta escolher o secretário de Governo para a equipe ficar definida. Serão mantidos nos cargos os secretários de Desenvolvimento Rural, Cezar Queiroz; de Desenvolvimento Econômico, Di Cezar; Leila Couto, na Secretaria de Saúde; Alice Rosa Gomes na Secretaria de Educação e Joana Michalsk na Secretaria de Assistência Social.

Em relação a Secretaria de Governo, o prefeito disse que está em fase de consultas. “Convidei duas pessoas que não aceitaram o convite”, admite Basso. Em relação a secretária de Assistência Social, (Joana) ele não hesita. “Não há nenhum motivo para substituí-la. É uma funcionária de carreira que faz um trabalho excelente, reconhecida até nacionalmente”, garante o prefeito.   

A secretária Joana se reuniu nesta manhã com o presidente do diretório municipal do PT, Wanderlei Barbosa e o ex-presidente, Gilmar Antunes. Com a determinação do prefeito de mantê-la no cargo acabou esfriando a pretensão dos vereadores petistas de pedir seu afastamento, propondo a nomeação de Márcio Marquetti.  Sérgio Bolzan e Edivaldo dos Santos, nem participaram do encontro.