Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 24 de Janeiro de 2021

Região

Contra o tráfico de cocaína, PF sequestra R$ 400 milhões e sai para prender 66

Campo Grande News

23 de Novembro de 2020 - 07:55

Operação é realizada em 10 estados brasileiros e no exterior (Foto: Divulgação/Polícia Federal)

Em maior operação de 2020, e uma das maiores da história, a PF (Polícia Federal) e a Receita Federal deflagram hoje (23), a "Operação Enterprise". Ao todo são 149 mandados de busca e 66 mandados de prisão nos estados do Paraná, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Minas Gerais, Rio Grande do Norte, Bahia e Pernambuco. As medidas foram expedidas pela 14ª Vara Federal de Curitiba.

Segundo a PF, a ação dá sequência ao trabalho de "descapitalização patrimonial e prisão de lideranças" de quadrilhas de traficantes, contando com cooperação internacional para combater o narcotráfico.

A Operação Enterprise é a maior do ano no combate à lavagem de dinheiro do tráfico de drogas e uma das maiores da história na apreensão de cocaína nos portos brasileiros, uma vez se tratar de uma organização criminosa especializada no envio de cocaína para a Europa.

Aproximadamente 400 milhões de reais em bens dos traficantes estão sendo sequestrados. São aeronaves, imóveis e veículos de luxo apreendidos, havendo a expectativa de que novos bens sejam identificados após o cumprimento dos mandados de busca e apreensão.

A Operação Enterprise, "se destaca por ser a maior da história em apreensão de cocaína, pois durante a investigação foram anteriormente apreendidas 50 toneladas da droga nos portos do Brasil, da Europa e da África". A organização criminosa na mira, ainda segundo a PF, é "uma das maiores em atuação no País".

O esquema utilizado pelos criminosos consistia na lavagem de bens e ativos multimilionários no Brasil e no exterior, com uso de vários “laranjas” e empresas fictícias, a fim de dar aparência lícita ao lucro do tráfico.

A operação conta com a ajuda da Interpol para a prisão de 8 investigados que estão no exterior, bem como a identificação e sequestro de bens em outros países. Cerca de 670 Policiais Federais e mais 30 servidores da Receita Federal participam da força-tarefa nesta manhã.

"Enterprise" - De acordo coma Polícia Federal, "o nome da operação faz alusão à dimensão da organização criminosa investigada, que atua como um grande empreendimento internacional na lavagem de dinheiro e exportação de cocaína, o que trouxe alto grau de complexidade à investigação policial".