Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 24 de Fevereiro de 2024

Região

Gestão dobrou empréstimos e triplicou dívida com fornecedores

De 2016 a 2020, a Santa Casa de Campo Grande viu pendência com bancos sair de R$ 80 milhões e chegar a R$ 170 milhões; hoje, a dívida está em R$ 190 milhões.

Correio do Estado

08 de Novembro de 2022 - 15:31

Gestão dobrou empréstimos e triplicou dívida com fornecedores
Santa casa de Campo Grande. Foto: Divulgação.

Segundo dados da transparência da Santa Casa de Campo Grande, entre 2016 e 2020, a instituição viu suas contas com entidades financeiras e fornecedores terem um salto grande. No período, quando o hospital era gerido pelo ex-presidente Esacheu Nascimento, a dívida com bancos teve seu montante duplicado, enquanto o valor devido aos fornecedores triplicou.

Nestes quatro anos, de acordo com dados da transparência do hospital, a dívida com entidades financeiras, que era de R$ 80 milhões, saltou para R$ 170 milhões ao fim de 2020. Hoje, esse valor está em R$ 190 milhões.

Já com relação aos fornecedores o salto foi ainda maior no período, passou de R$ 18 milhões para R$ 56 milhões, número mais que três vezes maior que o do início da gestão. Atualmente, esse valor está em R$ 60 milhões, aumento de 11%, mesmo durante o período da pandemia.

Todas essas dívidas, segundo fontes ligadas à Santa Casa, impactam até hoje as finanças do hospital. Por mês, ainda conforme pessoas do centro médico, há uma falta no caixa de R$ 13 milhões.

Para se ter uma ideia do impacto nas contas do hospital, só na prestação de contas do mês de setembro deste ano foram pagos R$ 5.129.310,12 para cobrir empréstimos de bancos e financiamentos feitos pela unidade. Outros R$ 5.071.043,95 foram para pagamentos de dívidas renegociadas com fornecedores. Ou seja, no mês, mais de R$ 10 milhões foram destinados apenas ao pagamento de contas refinanciadas.

Balanço anual da Santa Casa, publicado no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande) do dia 13 de maio deste ano, mostrou que o hospital tem dívidas com diversas entidades financeiras, entre elas, o banco Sicoob Credicom, Bradesco, Caixa Econômica Federal e Daycoval.

IMPOSTOS

Com relação aos impostos, também houve aumento. Ele saiu de R$ 4 milhões, em 2016, para R$ 60 milhões, em 2020, um crescimento de 15 vezes em quatro anos. Neste ano, o valor é ainda maior: R$ 170 milhões
Entretanto, o salto de R$ 60 milhões para R$ 170 milhões, mais que o dobro, ocorreu fora da gestão do ex-presidente.

Segundo a atual gestão, isso ocorreu em razão do período de pandemia, quando os prazos para pagamentos foram ampliados e o hospital precisou fazer renegociações, o que aumentou o valor dos juros sobre os impostos.

Outro ponto a ser destacado é que existiam alguns incentivos nesse período do governo federal, como o repasse de parte da loteria Timemania para as Santas Casas e a amortização de dívidas a cada real pago em dia.

ELEIÇÕES

Nesta quinta-feira, serão escolhidos nove novos membros do conselho de administração da Associação Beneficente de Campo Grande (ABCG), em eleição realizada na Santa Casa. O número representa metade das cadeiras do conselho, que são 18.

O resultado dessa eleição será decisivo para saber quem vai ser o novo presidente do centro médico. Isso porque uma das chapas é apoiada por Esacheu Nascimento.

A eleição funciona da seguinte forma: 92 associados da ABCG, dos 112 totais, estão aptos a votar. Eles devem escolher entre duas chapas, a Por Amor à Santa Casa e a Nova Santa Casa (esta, apoiada por Esacheu). A eleição ocorrerá às 18h30min, no auditório do hospital.

Finalizada esta etapa, já com os novos membros do conselho, será feita a eleição para presidente da instituição, com indicação dos diretores. Nesta segunda etapa, porém, só os 18 conselheiros têm direito ao voto.

Apoiada por Esacheu Nascimento, a chapa Nova Santa Casa tem entre seus nomes, inclusive, o ex-presidente Heber Xavier, que ficou na presidência do hospital após Esacheu deixar o cargo para concorrer à Prefeitura de Campo Grande, em 2020.

Este ano, Esacheu chegou a dizer, durante reunião, que não se candidataria novamente, o que foi registrado em ata.

PREFEITURA

Ontem a Santa Casa de Campo Grande assinou a renovação do contrato com a prefeitura da Capital: o valor a ser recebido é ainda maior do que o esperado. De R$ 23,8 milhões recebidos por mês, o hospital teve um acréscimo de quase R$ 9 milhões. Agora, a Santa Casa receberá por mês R$ 32.105.636,00.

O 12° termo aditivo ao contrato com o poder público terá prazo de vigência por mais oito meses, passando a ser valer de 1° de novembro deste ano a 30 de junho de 2023.
A repactuação foi realizada com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) e a Secretaria de Estado de Saúde (SES).

Chapas concorrentes na eleição ao conselho

Cahapa Por Amor à Santa Casa: Aleixo Paraguassu Neto; Carlos Ricartes de Oliveira; Eduardo Youssef Ibrahim; Ivan Araújo Brandão; Jary de Carvalho e Castro; João Nelson Lyrio; Marcos Alceu da Silva Villalba; Mário Antônio Cavinatto de Melo; e Onésio Bueno Freitas.

Chapa Nova Santa Casa: Alcides dos Santos; Antônio Morais Ribeiro Neto; Carlos Roberto Taveira; Marco Antônio Carstens Mendonça; Maria (Eunice) de Souza Sá Silva; Maria Amélia Cunha Figueiredo; Renato Katayama; Sinval Martins Araújo; e Tiago Souza de Campos e Martins.