Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 22 de Maio de 2022

Região

Perita papiloscopista é encontrada morta em motel da Capital

Há indicios de que seja suicídio. Este é o 3º em menos de uma semana envolvendo agentes de segurança pública.

Campo Grande News

24 de Janeiro de 2022 - 16:20

Perita papiloscopista é encontrada morta em motel da Capital
Perícia em frente a motel onde perita foi encontrada sem vida. (Foto: Marcos Maluf)

A perita papiloscopista Viviane Jesus de Souza, de 35 anos, foi encontrada morta com tiro na cabeça na tarde desta segunda-feira (24) em Campo Grande nesta segunda-feira (24) em um motel no Jardim Paulista.

Delegado da Quarta Delegacia de Polícia Civil da Capital, Nilson Friedrich, sem dar detalhes disse que apesar de indícios de suicídio, o caso será registrado como morte a esclarecer. Ainda segundo ele, aparentemente a morte não teria ocorrido hoje, porém exames necroscópicos confirmarão detalhes de como e quando Viviane faleceu. Viviane era responsável pelo Posto de Identificação  que fica no Centro de Corumbá.

Esta é a terceira morte em menos de uma semana envolvendo agentes da segurança pública. Na quinta feira (20) o tenente da Polícia Militar,  Edson Henrique Yamamoto Thomaz , 31 anos, foi encontrado morto em um quarto de hotel, na Avenida Calógeras, Centro, em Campo Grande. Ele era comandante do 3º Pelotão de Paraíso das Águas.

No mesmo dia (20), ex-guarda municipal de Campo Grande, Neiton de Assis Alves de Paiva, de 38 anos, foi encontrado morto em sua residência, no Jardim Petrópolis, em Campo Grande. Neilton sofria de depressão e tirou a própria vida. A mãe e outras testemunhas ainda tentaram reanimar Neiton fazendo massagem cardíaca, mas ele não recobrou a consciência. O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) constatou o óbito.

Procure ajuda - Vítimas de depressão e demais sofrimentos psicológicos podem buscar ajuda em escolas-clínicas de psicologia, no Núcleo de Saúde Mental, Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) ou pelos telefones 141 e 188 CVV (Centro de Valorização da Vida), 190 da PM e 193 dos Bombeiros, que ajudam pacientes a romper o silêncio.