Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 24 de Fevereiro de 2024

Saúde

Anvisa autoriza venda de álcool líquido 70%

Produto deve ser manipulado e utilizado com cuidado e ficar fora do alcance das crianças.

CNN Brasil

18 de Novembro de 2022 - 09:43

Anvisa autoriza venda de álcool líquido 70%
Fábio Lucas/Unsplash Lucas Rocha da CNN

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a comercialização de álcool etílico na concentração de 70%, na forma líquida, no país. A medida terá validade de 90 dias e tem como objetivo ampliar o acesso a produtos que contribuem para reduzir a transmissão da Covid-19. De acordo com a Anvisa, a Covid-19 tem demonstrado tendência a ter picos anuais de sazonalidade no Brasil, ao contrário de outras doenças respiratórias, como a influenza ou gripe, que aparecem com mais frequência nos meses de inverno.

O país enfrenta uma alta no número de casos da doença causada pelo coronavírus. A circulação da subvariante BQ.1 da Ômicron, mais transmissível, pode estar por trás da nova onda de infecções. O Ministério da Saúde recomenda medidas de prevenção e controle não farmacológicas, como distanciamento físico, etiqueta respiratória, higienização das mãos, uso de máscaras, limpeza e desinfeção de ambientes, isolamento de casos suspeitos e confirmados, bem como a quarentena dos seus contatos.

Cuidados com o álcool líquido 70%

O álcool líquido 70% teve sua venda proibida em 2002, devido ao grande número de acidentes. A Anvisa reitera que o produto deve ser manipulado e utilizado com cuidado e ficar fora do alcance das crianças. O álcool nessa forma física se espalha com muita facilidade e, caso pegue fogo, o dano na pele tende a ser grande e profundo devido à sua rápida absorção. A pele queimada, em geral, não volta ao normal, causando, além da dor, danos psicológicos.

A Anvisa recomenda que o consumidor deve dar preferência a frascos do tipo spray de aperto simples, de 50 ml a 100 ml.

  • Não fure a tampa nem deixe o frasco aberto para evitar a evaporação
  • O uso do álcool líquido nessa concentração deve ser realizado longe de fontes de calor
  • A utilização é recomendada apenas na desinfecção das superfícies fixas
  • Para a higienização das mãos de adultos e crianças deve ser priorizada a lavagem com água e sabonete

O produto deve ser armazenado longe de fontes de calor, em local limpo, fresco e entre 15ºC e 30ºC de temperatura. O local escolhido também deve ser abrigado do sol. E, em todos os casos, deve ficar fora do alcance das crianças, pelo risco de ingestão e queimaduras.

“Quem for comprar deve sempre evitar os produtos clandestinos, pois não têm comprovação quanto à sua atividade virucida e não passaram por controle da qualidade em relação à determinação do teor de álcool etílico. Também é fundamental ler as informações dos rótulos e o número do registro no Ministério da Saúde e na Anvisa, pois assim há segurança de que o produtor apresentou os documentos necessários para ser comercializado, diferentemente do álcool clandestino”, afirma Leonardo Lopes, responsável pelo Setor de Cosméticos e Saneantes do Departamento de Química do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz), em comunicado.