Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 25 de Setembro de 2020

Saúde

Estado de SP tem o primeiro caso de morte provocada pelo coronavírus

Homem de 62 anos tinha diabetes, hipertensão e hiperplasia prostática.

G1

17 de Março de 2020 - 10:05

Estado de SP tem o primeiro caso de morte provocada pelo coronavírus

O estado de São Paulo registrou o primeiro caso no Brasil de morte de pessoa infectada pelo novo novo coronavírus (Sars-Cov-2). A vítima é um homem de 62 anos, com histórico de diabetes, hipertensão e hiperplasia prostática _que é o aumento benigno da próstata natural em homens mais velhos. A informação foi divulgada pelo governo estadual na manhã desta terça-feira (17).

Até a última atualização desta reportagem, não havia sido divulgado o local onde o homem morava e nem se viajou ao exterior ou se teve contato com alguém contaminado no Brasil. Esse também foi o primeiro óbito registrado no Brasil.

Nesta manhã, no momento em que a morte foi anunciada pelo governo de São Paulo, havia 301 casos confirmados pelas secretarias de Saúde dos estados de infecção pelo vírus.

De acordo com a Secretária Estadual de Saúde, o estado de São Paulo tem 152 casos confirmados da doença até esta segunda-feira, com mais 1.777 casos suspeitos de coronavírus. Em todo o Brasil são 234 casos confirmados, de acordo com o boletim do Ministério da Saúde desta segunda-feira.

O Governo de São Paulo avalia que o surto de coronavírus deve durar "de quatro a cinco meses". No entanto, as medidas restritivas adotadas pela administração estadual, como a suspensão das aulas e a restrição de eventos, não devem ser aplicadas durante todo este período.

Reavaliação de testes laboratoriais

Ainda nesta segunda, o governo estadual disse que "vai avaliar" a nova recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que todos os casos suspeitos do novo coronavírus (Covid-19) sejam submetidos a exames laboratoriais. A afirmação foi feita pelo secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann.

Na sexta-feira (13) o governo de São Paulo havia anunciado que somente pacientes internados seriam submetidos ao teste laboratorial na rede pública e que o diagnóstico clínico seria adotado para outros casos suspeitos.

As restrições impostas à circulação de de pessoas devido ao risco de contaminação mudou a cara da cidade de São Paulo no início desta semana. Nesta manhã, trens do Metrô estavam vazios.