Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Maio de 2024

SIDROLÂNDIA- MS

Agesul recebe na 3ª-feira projeto do trecho final do acesso ao Balbinos

O acesso asfaltado é uma exigência do Ministério da Agricultura para autorizar o funcionamento da sala de desossa.

Redação/ Região News

14 de Abril de 2024 - 20:15

Agesul recebe na 3ª-feira projeto do trecho final do acesso ao Balbinos
 A obra, orçada em R$ 2 milhões, será executada pelo Governo do Estado com recursos do Fundersul. Foto: Marco Tomé/ Região News

A Engeluca Engenharia tem até terça-feira (16) para entregar à Agesul (Agência Estadual de Empreendimentos) o projeto de engenharia do trecho complementar do acesso ao Frigorífico Balbinos. A obra, orçada em R$ 2 milhões, será executada pelo Governo do Estado com recursos do Fundersul. Foi viabilizada a partir de gestões do presidente da Assembleia Legislativa, Gerson Claro.

Segundo o diretor de planejamento da Prefeitura, serão feitos mais 520 metros de asfalto, entre o portão de acesso aos funcionários até o pátio de entrada das carretas. Será aproveitada a drenagem implantada para o Bairro Ipacaray que permitiria escoar a enxurrada até o Rio Vacaria.

O acesso asfaltado é uma exigência do Ministério da Agricultura para autorizar o funcionamento da sala de desossa e abriria caminho da habilitação do Frigorífico Balbinos para exportação. A planta, que tem autorização para abater 1.000 cabeças de gado por dia, hoje abate 650 e emprega 350 trabalhadores. A sala de desossa, que exigiu um investimento de R$ 20 milhões, tem capacidade para realizar a desossa de 5.500 peças por dia.

Obra 

O projeto de pavimentação do acesso ao Frigorífico Balbinos se arrasta desde 2016. Em abril do ano passado a Prefeitura rescindiu o contrato com a AM Construtora que venceu a licitação para fazer o trecho do acesso até o portão de acesso dos funcionários.

A segunda colocada na licitação, a empresa Taquion Obras de Infraestrutura, não teve interesse em concluir o serviço. Ainda falta realizar algumas etapas, como a instalação de bocas de lobo, uma boca de dragão (estrutura de captação de enxurrada que desce do Bairro São Bento) e a sinalização.

A AM Construtora recebeu R$ 1,2 milhão para executar 707 metros de asfalto no prolongamento, parte dos 518 metros de drenagem e o meio-fio. As obras foram iniciadas em abril de 2022 e o asfalto foi concluído em novembro.

Foram utilizados 17 caminhões de CBUQ no trecho, que é percorrido diariamente por 30 caminhões que transportam bois para abate e levam os cortes para uma unidade da empresa em São Paulo, onde ocorre a desossa. O cronograma da obra foi atrasado devido à atualização de um dos itens da planilha de custos, referente à massa asfáltica, que estava com preços defasados.

A licitação foi realizada com base nos preços da planilha levantados em agosto de 2021, quando o custo da massa asfáltica era de R$ 369,00 por tonelada. Em 2022, o preço chegou a ser de R$ 630,00, o que causou um desequilíbrio de aproximadamente R$ 279 mil.

Além disso, foram feitos 594 metros de drenagem projetados para o corredor público que fica ao lado da indústria e desce em direção ao Córrego Vacaria, atravessando uma faixa de terra dentro do pesqueiro. A obra de pavimentação foi iniciada pelo Governo do Estado em setembro de 2020, mas foi interrompida cinco meses depois devido à falta de licença ambiental.