Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 21 de Fevereiro de 2024

SIDROLÂNDIA- MS

Saúde começa aplicar 2⁰ dose da vacina bivalente contra Covid-19

Podem tomar a bivalente quem tem acima de 60 anos e imunocomprometidos com mais de 12 anos, que tomaram a 1⁰ dose há mais de 6 meses.

Redação/ Região News

10 de Dezembro de 2023 - 18:08

Saúde começa aplicar 2⁰ dose da vacina bivalente contra Covid-19
Desde que a bivalente foi disponibilizada, em fevereiro passado, já foram aplicadas em Sidrolândia 3.066 doses. Foto: Alex Ramos

A Secretaria Municipal de Saúde  já está oferecendo a 2ª dose da vacina bivalente contra Covid-19. O imunizante vai estar disponível de segunda a sexta-feira das 7 às 13 horas na Unidade Básica Central em frente ao Banco do Brasil.

Podem tomar a bivalente quem tem acima de 60 anos e imunocomprometidos com mais de 12 anos, que tomaram a 1⁰ dose há mais de 6 meses. Desde que a bivalente foi disponibilizada, em fevereiro passado, já foram aplicadas em Sidrolândia 3.066 doses.

"Diante da identificação de duas novas sublinhagens do vírus da covid-19 no país, o Ministério da Saúde passou a recomendar uma nova dose da vacina bivalente para pessoas com 60 anos ou mais e imunocomprometidos acima de 12 anos que tenham recebido a última dose do imunizante há mais de seis meses.

“Seguimos atentos ao cenário epidemiológico da covid-19. Com a identificação de duas novas sublinhagens no país, a JN.1 e JG.3, decidimos antecipar para grupos prioritários uma nova dose da vacina bivalente. A vacinação é essencial para nossa proteção”, twitou a ministra da Saúde, Nísia Trindade.

Antiviral

A pasta destacou ainda que o antiviral Nirmatrelvir/Ritonavir está disponível na rede pública para o tratamento da infecção por covid-19 em idosos com 65 anos ou mais e imunossuprimidos com 18 anos ou mais, logo que os sintomas aparecerem e houver a confirmação de teste positivo.

Subvariantes

De acordo com o ministério, a subvariante JN.1, inicialmente detectada no Ceará, vem ganhando proporção global e já corresponde a 3,2% dos registros em todo o mundo. Já a sublinhagem JG.3, também identificada no Ceará, está sendo monitorada em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Goiás.

Conforme o último epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde em novembro foram registrados 32 casos de internação. Desde o início do ano são 253 notificações, número menor que os 413 do ano passado.