Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 8 de Dezembro de 2021

Esporte

Por contrato, Mano terá que pagar R$ 800 mil ao Fla por pedido de demissão

Multa rescisória prevista para as duas partes é de dois salários do técnico. Caso é raro no clube, que tem histórico de pagar milhões com demissões

Globo Esporte.com

20 de Setembro de 2013 - 11:00

Com o pedido de demissão que pegou a todos de surpresa, Mano Menezes gerou uma situação inusitada para um clube com histórico de gastar milhões com indenizações para treinadores demitidos. Segundo o GLOBOESPORTE.COM apurou, no contrato assinado no dia 13 de junho e que iria até dezembro de 2014, o técnico acertou vencimentos mensais de R$ 400 mil. E uma das cláusulas prevê multa rescisória do mesmo valor para ambas as partes. Para pedir o boné, Mano terá que coçar o bolso e pagar ao clube dois salários, num total de R$ 800 mil. Caso tivesse sido mandado embora, ele receberia a mesma quantia.

É uma situação rara no Flamengo, que tem casos recentes de indenizações com Dorival Júnior (especula-se algo em torno de R$ 2,5 milhões), Joel Santana (com mais de R$ 2 milhões para receber), Vanderlei Luxemburgo, entre muitos outros. Todos demitidos e com multas rescisórias altíssimas previstas em contrato.

O fato de Carlos Leite, empresário de Mano Menezes, ter bom relacionamento com os dirigentes do Flamengo não deve zerar a dívida que o ex-treinador cria com o clube a partir de agora. Antes do acerto, o Flamengo até pediu um compromisso maior com o comandante, a princípio por ao menos três temporadas, mas ele achou melhor reduzir para duas.

Na noite desta quinta-feira, depois da virada e derrota por 4 a 2 para o Atlético-PR, Mano Menezes se dirigiu ao vestiário e, além dos jogadores, surpreendeu membros da comissão técnica que se entreolhavam e perguntavam “e aí?” - e também o diretor executivo Paulo Pelaipe, que recebeu com espanto a atitude de Mano Menezes, que na semana passada chegou a dar início às conversas sobre planejamento para o ano que vem.

- Estávamos fechando um ciclo de quatro meses e senti no resumo do jogo de hoje que não consegui passar para esse grupo aquilo que penso de futebol. E quando é assim, é porque o técnico precisa sair. Com essa visão, tomei essa decisão difícil e inédita na minha carreira, mas julgo ser a mais correta neste momento para que o Flamengo trilhe outro caminho que não seja esse, mais perto da zona de rebaixamento do que na parte de cima da tabela - comunicou Mano, ainda no Maracanã, depois do jogo.

Durante a madrugada desta sexta-feira, o departamento de futebol e a diretoria já se movimentavam, debateram a saída de Mano e começaram a pensar no futuro, mas ainda sob o impacto da saída repentina do treinador. Sem o comandante, o time se reapresenta na manhã desta sexta-feira, no Ninho do Urubu. À noite, a delegação viaja par Recife, onde enfrentará o Náutico, domingo. Jayme de Almeida deverá assumir a equipe de forma interina.