Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 26 de Setembro de 2020

Mato Grosso do Sul

Primeiras usinas sucroenergéticas do Mato Grosso do Sul são certificadas no RenovaBio

Unidades da Atvos estão habilitadas na Política Nacional de Biocombustíveis para redução de emissões de gás carbônico e expansão de biocombustível na matriz energética nacional

Assessoria de Imprensa

11 de Fevereiro de 2020 - 16:30

A Atvos, uma das maiores produtoras de etanol do país, certificou duas unidades agroindustriais do Mato Grosso do Sul no RenovaBio, Política Nacional de Biocombustíveis que viabiliza o cumprimento dos compromissos do Brasil no Acordo de Paris. A Unidade Santa Luzia, localizada em Nova Alvorada do Sul e a Unidade Eldorado, em Rio Brilhante, estão autorizadas a emitir créditos de descarbonização (CBIOs).

"O programa é uma ação efetiva para combater o aquecimento global, impulsionar uma matriz energética de transporte mais limpa e, consequentemente, melhorar a qualidade do ar nas cidades brasileiras. Ao incentivar a expansão do setor de biocombustível, impulsionamos a inovação tecnológica e a geração de emprego e renda. Toda a sociedade é beneficiada", adianta Amaury Pekelman, vice-presidente de relações institucionais e sustentabilidade da Atvos.

O RenovaBio busca reduzir as emissões de gás carbônico da matriz de combustíveis do país por meio da expansão dos biocombustíveis (etanol e biodiesel). As distribuidoras de combustíveis receberam metas de descarbonização e, para cumpri-las, devem adquirir créditos de descarbonização (CBIOs) que são emitidos pelos produtores de biocombustíveis certificados junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Todas as unidades agroindustriais da Atvos estão sendo certificadas no RenovaBio. Para isso, é necessário fazer um levantamento da quantidade de gás carbônico que é emitida em todo o processo produtivo do etanol. Isso inclui da preparação do solo para plantação da cana-de-açúcar até a emissão pelos automóveis. A partir desses dados, cada unidade recebe uma nota de eficiência energética da ANP que determina quantos litros de biocombustíveis são necessários para evitar a emissão de uma tonelada de CO2. As notas das Unidades Santa Luzia e Eldorado foram, respectivamente, de 60,30 e 58,80 gCO2/MJ. Juntas elas têm potencial para emitir aproximadamente 720 mil CBIOs por safra.

Desde 2012 a Atvos faz a gestão de emissões de gases de efeito estufa em seu processo produtivo. Ao produzir etanol e energia a partir da biomassa de cana-de-açúcar, a empresa contribui com a agenda climática global, pois o uso de seus produtos em substituição aos combustíveis fósseis evita emissões de gases do efeito estufa. Na safra passada de 2018/19, as duas unidades localizadas no Mato Grosso do Sul impediram que 1,5 milhão de toneladas de CO2 fossem lançados.

Presente em cinco polos produtivos localizados nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, a Atvos atua desde 2007 na produção de etanol, açúcar VHP e energia elétrica a partir da biomassa de cana-de-açúcar. Conta com mais de 10 mil funcionários, sendo mais de 3.700 empregos diretos no Mato Grosso do Sul.

Sobre a Atvos

Com mais de 10 mil funcionários e presente em cinco polos produtivos localizados nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, a Atvos atua desde 2007 na produção de etanol, açúcar VHP e energia elétrica a partir da biomassa de cana-de-açúcar. A empresa tem capacidade para produzir 3 bilhões de litros de etanol, 700 mil toneladas de açúcar VHP e 3,1 mil GWh de energia elétrica a partir da biomassa da cana-de-açúcar. Na safra de 2018/2019, a empresa voeu 26,7 milhões de toneladas de cana-de-açúcar que geraram 2,08 bilhões de etanol, 212 mil toneladas de açúcar VHP`e 1,9 mil Gwh de energia exportada. www.atvos.com.