Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 5 de Dezembro de 2021

Mato Grosso do Sul

Queimadas no Pantanal diminuíram 88% nos quatro primeiros meses de 2021

Correio do Estado

24 de Maio de 2021 - 14:37

Queimadas no Pantanal diminuíram 88% nos quatro primeiros meses de 2021
Pantanal em 2020 - Divulgação

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostraram queda de 88,2% nos focos de incêndio no Pantanal nos quatro primeiros meses de 2021, se comparado ao mesmo período do ano passado. Em 2020, foram registrados 1 815 focos entre janeiro e abril, enquanto este ano tiveram 213.

O Tenente-Coronel Bombeiro Militar, Leandro Mota de Arruda explica que o principal fator que condiciona as queimadas é o clima, o que impossibilita prever se os números continuarão bons até o fim do ano. Os meses de 2021 apresentaram períodos sem chuvas, chamados de pré-estiagem, de cerca de 30 dias, mas não ultrapassaram a marca de 40 ou 60 dias, igual foi ano passado.

"Se nós tivermos o período de chuva um pouco melhor, talvez nós teremos números melhores, mas não tem como prever isso. Antes de chegar essa frente fria, nós estávamos com a umidade relativa do ar bem baixa, já estava bem propício para os incêndios florestais, mas graças a Deus chegou essa chuva".

Choveu na maior parte do Estado no último fim de semana, que resultou em uma frente fria que permanecerá até quarta-feira (26), a umidade relativa do ar deve variar de 20% a 100%.

"Com essa frente fria já deu uma melhorada. Toda vez que isso acontece a gente adia um pouco mais o período de estiagem. Em relação ao ano passado, nessa época estava chovendo muito pouco ou quase nada", ressaltou Arruda. O período de estiagem costuma ser no inverno, entre junho e setembro. Contudo, o intervalo pode variar em cada ano de acordo com o clima, podendo ser adiantado, ou adiado. "Ano passado tivemos incêndio até outubro".

"Se as chuvas ocorrerem do jeito que está agora, mesmo que tenhamos um período curto de estiagem vai ser bem melhor em relação ao ano passado. Mas ao chegar o inverno agora, a tendência é que as chuvas diminuam bem mais", ressaltou Arruda.

Outro ponto que pode ter influenciado na diminuição foi o Plano Estadual de Manejo Integrado do Fogo (PEMIF), que estabelece instrumentos, diretrizes e regulamentos para o trabalho de orientação, prevenção e combate aos focos de incêndio.

Os militares usam o manejo do fogo para combater os grandes incêndios florestais. Essa técnica foi reconhecida como parte de processos ecológicos, de práticas dos povos indígenas e das comunidades tradicionais, em decorrência de atividades agropastoris para redução de biomassa disponível.

Queimadas no Pantanal diminuíram 88% nos quatro primeiros meses de 2021

Monitoramento

O Inpe começou a monitorar as queimadas em todo o país a partir de 1988. Os focos ativos são monitorados via satélite diariamente. Antes de 2020, o ano que mais havia registrado os focos de incêndio no bioma Pantanal foi 2005, com 12 536, quase empatado com o ano de 2002, com 12 486.

Desde então os índices variaram, chegando a 1 567 em 2014, até 10 025 em 2019. No ano passado atingiu recorde histórica, com 22 116.