Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 20 de Setembro de 2020

Mato Grosso do Sul

Reinaldo pressiona prefeitos por medidas de isolamento social nos municípios

Reinaldo Azambuja reforçou que administrações das cidades têm autonomia para restringir circulação de pessoas.

Campo Grande News

25 de Junho de 2020 - 16:23

Reinaldo pressiona prefeitos por medidas de isolamento social nos municípios

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) fez coro ao mantra repetido diariamente pela direção da SES (Secretaria de Estado de Saúde) durante transmissões ao vivo e pediu medidas mais duras para garantia do isolamento social, defendido como melhor “remédio” para frear a contaminação em massa pelo novo coronavírus e evitar colapso de hospitais.

Diferente do que é de costume, Azambuja participou da live desta quinta-feira (25), edição de número 100 durante a emergência em Saúde. O governador foi o último a falar e discursou por 13 minutos.

“O Supremo Tribunal Federal [STF] definiu que municípios e estados podem tomar as medidas. O município tem autonomia nas medidas, podem fechar um pouco mais ou flexibilizar um pouco mais. Mas não devemos nunca, por se tratar de ano eleitoral, politizar essas questões. Nossa obrigatoriedade é salvar vidas, tomar as medidas corretas na hora certa”, disse o tucano.

Segundo a startup InLoco, a taxa de isolamento do Estado foi de 39%, ontem (24). O ideal é o que o nível seja, pelo menos, superior a 60%.

“Temos que criar as condições para evitar o maior número de pessoas circulando. O isolamento ainda é a melhor arma para combater esse vírus, não tem outro, não tem vacina”, continuou.

Até agora, só Guia Lopes da Laguna experimentou regime próximo ao chamado lockdown. O município da região Sudoeste foi o primeiro do Estado a registrar surto de covid-19 e, até hoje, ainda tem a maior taxa de incidência - 2.597,3 casos a cada 100 mil habitantes.

Rio Brilhante, na região da Grande Dourados, decretou fechamento total de estabelecimentos públicos e privados por 14 dias, a partir de amanhã (26). O ato é similar ao imposto em Campo Grande entre o fim de março e início de abril.

Em maio, Guia Lopes determinou que as pessoas poderiam sair de casa até duas vezes na semana e apenas para fins essenciais. Rio Brilhante não impôs limite à livre circulação de pessoas.

Ainda durante a transmissão, Azambuja lembrou que Mato Grosso do Sul ainda é o estado com menor número de casos confirmados (6.523) e mortes (61). Porém, alertou sobre os óbitos de pessoas jovens e sem comorbidades.

“Isso não é uma competição. Você vê pessoas [morrendo] com 32 anos, 27 anos, vê idosos. Esse vírus não escolhe pessoas. Tenho percorrido o Estado e observado rodinha de tereré, pessoas se aglomerando. Cabe a consciência e reflexão de que a gente pode estar levando o vírus, levando pessoas ao óbitos”, falou.

Reinaldo Azambuja também mostrou preocupação com a ocupação de leitos exclusivos aos pacientes de covid-19 que, hoje, está em 18% nos clínicos e 36% entre os de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Conforme a SES, 163 pessoas estão internadas com a doença.

“Daqui uns dias você não tem mais leitos disponíveis. Aí vem o grande problema. Se fizermos nossa parte, podemos evitar essas perdas”, finalizou.