Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Policial

Casal diz que usou dinheiro furtado de bolsa em supermercado para pagar faculdade

Midia Max

09 de Agosto de 2012 - 10:13

Sem arrependimento algum do crime, a acadêmica de contabilidade Kátia Regina Oliveira de Carvalho, 39 anos e o também estudante Audemario Reinaldo de Carvalho, 53 anos, acusados de terem furtado R$ 4.800 que estavam em uma bolsa de marca francesa, além de um óculos avaliado em R$ 700, dentro de um supermercado na sexta-feira (3), dizem que só compareceram à polícia porque foram detidos em casa. Além disso, a proporção do crime foi maior do que eles esperaravam, já que a câmera flagrou toda a movimentação de ambos.

“Durante o interrogatório no início da tarde desta quarta-feira (8), na 1ª Delegacia de Polícia Civil, em Campo Grande, Kátia disse que um colega de trabalho comentou que já eles já tinham sido descobertos e que pessoas reconheceram nas imagens a Kátia e o marido. Então, seria melhor eles colaborarem. Caso contrário, eles disseram que não se apresentariam à polícia”, afirma o delegado Fábio Sampaio.

Kátia, segundo a polícia, é atendente em uma rede de farmácias em Campo Grande e cursa contabilidade em uma universidade da Capital. Ela e o marido, que também é estudante, utilizaram todo o dinheiro para pagar mensalidades da universidade. Dias após o crime, eles teriam levado a bolsa nas proximidades de um terreno baldio onde a vítima trabalha e ligado de um orelhão para entregar o objeto.

”Ambos vão responder por furto qualificado. A pena é de dois a oito anos de reclusão. Por enquanto, eles vão responder em liberdade porque não possuíam antecedentes criminais, a não ser que cometam outros crimes, aí sim pode ser pedida a prisão preventiva da dupla”, explica o delegado Sampaio.

Vítima afirma que quer ser ressarcida e que nada justifica o furto

Revoltada com a ação criminosa do casal, a administradora I.Z., 54 anos, afirma que quer ser ressarcida. “Eles disseram que pagaram a faculdade, mas nada justifica o crime. Eu mesma já estive cheia de dívidas, com o nome sujo e mesmo assim não saí roubando ninguém por aí. Eles são sim um casal de ladrões, que deveriam ficar presos e me ressarcir o dinheiro”, diz a vítima.

Como eles também levaram consigo a chave do carro, da casa e da empresa da vítima, ela diz que ficou com medo de ser assaltada em outras ocasiões. “Fui orientada pela polícia e troquei todas as fechaduras. E, na primeira vez que registrei o boletim de ocorrência, não tinha ainda certeza do valor, mas saquei porque precisava pagar cinco funcionários da minha empresa, mas nunca mais faço isso”, comenta a vítima.

Caso o casal tivesse entregado a bolsa, I.Z. conta que ‘com certeza iria recompensar o casal’. “Eu iria agradecer muito, chamar a imprensa para mostrar o casal e pagar uma recompensa com certeza. Mas, ao contrário eles não foram honestos e me ensinaram agora a ser menos desatenta”,