Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 23 de Junho de 2024

Policial

Depois de pagar R$ 16 de pensão, goleiro Bruno tem pena reduzida

Pena foi reduzida para 1 ano e 2 meses e foi considerada extinta. Processo refere-se ainda a cárcere privado, lesão corporal e outros crimes

G1

14 de Agosto de 2012 - 16:41

Depois de reconhecer em junho deste ano a paternidade do filho e pagar pensão de R$ 16 por mês, o goleiro Bruno Fernandes agora teve a pena reduzida. A Justiça do Rio reduziu para 1 ano e 2 meses a pena dele no processo em que foi condenado em primeira instância a 4 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de sequestro, cárcere privado, lesão corporal, constrangimento ilegal e concurso material. A decisão foi tomada nesta terça-feira (14). Um dos filhos de Bruno mora em Campo Grande com a avó materna.

Como o ex-atleta já está preso há mais tempo, a Justiça considerou a pena extinta neste processo. Além do recurso da defesa do goleiro, a 7ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio também julgou, nesta terça, recurso da defesa de Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão, e do Ministério Público do Rio de Janeiro. A pena de Macarrão também foi reduzida para 1 ano e dois meses, em regime aberto, e foi considerada extinta.

O processo refere-se aos crimes de sequestro, lesão corporal e ameaças que Eliza Samudio teria sofrido na época que engravidou do goleiro. Em 2009, a ex-namorada do atleta registrou queixa na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher e disse que a intenção do goleiro e do Macarrão seria para obrigá-la a abortar um filho dele. Bruno ainda responde pelo desaparecimento de Eliza Samudio em processo que corre na Justiça de Minas Gerais.

PENSÃO

O goleiro Bruno Fernandes assinou em junho os documentos de reconhecimento da paternidade de Bruninho, com de 2 anos e 4 meses na época, também filho de Eliza Samudio.

Há dois meses o goleiro destina 10% do salário para o filho e também para as duas meninas que tem com a ex-mulher, Dayanne Rodrigues. Bruno recebe R$ 500 mensais prestando serviços de limpeza na penitenciária e destina R$ 50 para as pensões, ou seja R$ 16,66 para cada filho.

Sonia Fatima de Moura, mãe de Elisa, é que tem a guarda de Bruninho. Eles moram em Campo Grande (MS).