Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 15 de Janeiro de 2021

Policial

Foragido da colônia penal é preso com mais de 500 quilos de maconha próximo da Capital

Durante fiscalização na região de Sidrolândia, policiais se depararam com um utilitário SW4 com três pessoas

Midiamax

20 de Agosto de 2014 - 13:18

A Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico) apreendeu 531,5 quilos de maconha divididos em 880 tabletes em Campo Grande. Desde que um caminhão com drogas foi apreendido em Ponta Porã, a Denar investiga a rota em que traficantes usam para passar com drogas.

Durante fiscalização na região de Sidrolândia, policiais se depararam com um utilitário SW4 com três pessoas. No carro estava o condutor Paulo Henrique Martins Paes, de 21 anos, e duas passageiras, Rosana Campos Dias, 37 anos, e Cristiane Nunes Ferreira, 40 anos.

Em abordagem, os policiais constataram que uma das mulheres, Cristiane, tinha mandado de prisão. Foi feita a checagem ao sistema policial que comprovou a informação. A polícia realizou mais investigações e descobriu que o mandado era de Ponta Porã, mas que tinha sido revogado.

Depois que todos foram ouvidos e estavam sendo liberado, o motorista que ao ser preso se apresentou com a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) de Jeferson de Oliveira Sei, mas assinou o registro policial como Paulo Henrique Martins Paes.

Diante da contradição do nome, ele foi novamente ouvido para explicar a contradição da assinatura. Ao ser entrevistado, a polícia descobriu que ele era evadido da colônia penal desde 2012 por tráfico de drogas.

Paulo revelou aos policiais que em sua casa na Rua Professor Virgílio Winckler, no Bairro Campo Nobre, tinha maconha escondida. Os policiais se deslocaram até o local e encontraram mais de meia tonelada da droga.

Na casa também foram apreendidos um revólver calibre 38, 34 munições de calibre 38 e de 9 milímetros, uma balança de precisão e fita para embalar a droga. Uma Toyota RAV4, placa SIH-9997 de São Paulo (SP). A polícia diz acreditar que o chassi esteja adulterado.

Paulo Henrique disse que aluga a casa há 7 meses e que estava guardando a droga para um homem que fez a encomenda de Primavera do Leste, em Mato Grosso. Ele revelou que estava esperando as fiscalizações diminuírem para levar o entorpecente até o Estado vizinho.

Ele foi preso em flagrante e as duas mulheres não foram indiciadas, mas continuam sendo ouvidas para averiguar se houve a participação delas no caso. Ele permanece na Denar e em seguida deve ser encaminhado para o presídio.