Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 21 de Outubro de 2021

Policial

Moradores denunciam abuso de policiais paraguaios em operação na fronteira

Jaime Mel

16 de Fevereiro de 2011 - 14:43

Moradores denunciam abuso de policiais paraguaios em operação na fronteira
Moradores denunciam abuso de policiais paraguaios em opera - Foto: Jaime Mel

Moradores do Assentamento São Vicente de Paula que fica na fronteira do Brasil com o Paraguai a cerca de 14 Km de Paranhos MS, estão revoltados com a truculência de alguns agentes da Policia Paraguaia que estão desenvolvendo uma operação na fronteira.

 

Na linha Internacional que divide os dois países na região existe duas estradas, uma do lado Paraguaio e outra em território Brasileiro, os moradores desta localidade estão revoltados com algumas abordagens feitas por alguns agentes da operação “Nova Amanhecer”, há inclusive denúncias de que os agentes estão abordando pessoas em território Brasileiro e subornando aqueles que não portam documentação de suas motos.

 

Uma das vítimas foi o Senhor José Milton (46) morador no assentamento citado, o mesmo relatou que seguia para Paranhos no sábado passado (12/02) e foi abordado pelos agentes que tentaram suborná-lo em território Brasileiro pedindo para que o mesmo empurrasse sua motocicleta no lado Paraguaio enquanto aguardava a documentação que alguém de sua família trazia, o qual recusou, ao chegar à documentação o mesmo foi liberado, porém seu vizinho que não quis se identificar não conseguiu falar com os familiares, portanto não conseguiu que a documentação fosse até o local, conseqüentemente os agentes o liberaram depois de terem exigido R$ 50,00 do mesmo, um dia após mais dois moradores sofreram o mesmo constrangimento e tiveram que pagar R$ 150,00 para terem suas motocicletas liberadas, vários outros moradores de Fazendas, chácaras e sítios na região também foram lesados, porém por temerem represálias não querem se identificar.

 

Nossa equipe procurou alguns oficiais que estão comandando a operação, porém disseram desconhecer tais ações, mesmo assim iriam investigar caso sejam verídicas, punirão os responsáveis.